Luciano Bispo dialoga com prefeitos sobre o Plano de Desenvolvimento Costeiro

Publicada: 16/11/2022 às 22:18

Por Stephanie Macêdo – Agência de Notícias Alese

O presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), deputado Luciano Bispo (PSD) esteve reunido no final da tarde desta quarta-feira (16) com prefeitos, autoridades judiciárias e procuradores de oito municípios que compõem o Litoral Norte do Estado a fim de tratar sobre a construção do Plano de Desenvolvimento Costeiro (PDC) – projeto idealizado pela Assembleia Legislativa de Sergipe. O PDC é fruto do Plano de Desenvolvimento Sustentável de Sergipe (PDES), ferramenta que aponta caminhos para maior impulsionar o desenvolvimento econômico do Estado. O encontro ocorreu na sede do Poder Legislativo, na Sala de Reuniões do 7º andar.

o coordenador do PDC, Marcelo Barberino

Segundo esclareceu o coordenador do PDC, Marcelo Barberino, a pesquisa que gerou o Plano de Desenvolvimento do Estado de Sergipe (PDES) apontou a ausência de um instrumento de zoneamento, que seria o Zoneamento Econômico-Ecológico Costeiro (ZEEC) do Estado. Relata que a  falta desse instrumento torna-se um grande impeditivo para o desenvolvimento local dos vários municípios que compõem os litorais do Estado: Sul, Norte e Centro.

“Nós estamos reunidos hoje com os gestores dos municípios do Litoral Norte, depois vamos nos reunir com os gestores do Central. Este plano está sendo construído a várias mãos, ele não é um plano apenas de um governo, mas um plano de Estado, pensando no desenvolvimento e no avanço de nosso Estado”, afirmou Barberino.

Diante desse cenário de relevância para Sergipe, o presidente da Alese defendeu a importância da existência de um plano que dê foco à cadeia produtiva local e o quanto elas podem ser potencializadas, dentro dos princípios básicos da sustentabilidade. Ele afirmou que o PDC é um presente para Sergipe.

o presidente da Alese, Luciano Bispo

“É uma continuação do Plano de Desenvolvimento para Sergipe. Agora nós estamos falando do desenvolvimento Costeiro do Estado em várias regiões: norte,  sul e  centro, para que cada município possa ter a noção da sua capacidade, de onde pode ir e até onde pode chegar para gerar emprego e renda para o seu município. O plano é importantíssimo para o estado de Sergipe, nós ficamos aqui muito gratos pela entrega desse diagnóstico, e quero parabenizar todos os que estão participando com o maior entusiasmo, pensando no melhor para Sergipe”, externou Bispo.

Diagnóstico

A reunião ampliada permitiu o compartilhamento da fase final de Diagnóstico e Prognósticos do PDC, um trabalho que vem sendo executado pela Raíz Consultoria Ambiental. Diante do detalhamento apresentado, os prefeitos externaram suas impressões, e defendem o uso dos recursos naturais como parte do processo de vida da população. 

Diretor da Raíz Consultoria, Genival Nunes

Segundo o biólogo Genival Nunes, diretor da Raíz, o diagnóstico tem uma característica especial, por abranger o meio físico, geofísico, hídrico, ecológico, arqueólogico, histórico, biótico, econômico, entre outros.

“Podemos dizer que hoje temos uma carta real do Litoral Centro e Norte de Sergipe, possibilitando que a construção da próxima fase, que é o Prognostico, seja baseado de dados reais. Isso faz com que a gente tenha uma realidade muito próxima para o que queremos dessa região do Estado. É uma região muito rica,  potencialmente, economicamente, turisticamente importante, com riziculura, piscicultura, carcinicultura. É uma região com capacidade enorme e que precisa de coisas simples, como o acesso às regiões”, conta o pesquisador.

Para a prefeita de Pacatuba, Manuella Martins, o Plano de Desenvolvimento Costeiro norteará maiores possibilidade de se empreender na região, e de se fazer melhor uso das potencialidades. “Esse plano é de suma importância para o Litoral Norte, especialmente para Pacatuba, que é um município que tem 27 km de litoral, então nós precisamos entender, compreender, para assim desenvolver nosso município, saber das reais potencialidades que ele tem”, revelou.

A prefeita de Pacatuba, Manuella Martins

Ricardo Roriz, prefeito de Santana de São Francisco, que já vem participando das reuniões do plano, conta que o PDC é essencial para todo o Baixo São Francisco, principalmente para o Turismo.

“Eu espero que seja um projeto que atenda ao meio ambiente, à população dos nossos municípios e aos turistas, e também com industrialização, criação de camarões, e por aí vai. Precisamos muito que a gente possa desenvolver nossos municípios através deste projeto”, frisou.

O prognóstico do PDC de Sergipe, que estará acessível ao público, será entregue nos próximos dias.

Presenças

Ricardo Roriz, prefeito de Santana de São Francisco

Na reunião, a presença do prefeito de Telha, Flávio Dias; do município Ilha das Flores, o prefeito Robson Martins;  do município de Santana do São Francisco, prefeito Ricardo Roriz; do município de Neópolis, o prefeito Célio Lemos; de Japoatã, o prefeito Cláudio Dinisio; de Pacatuba, a prefeita Manuella Martins; do município de Pirambu, o prefeito Guilherme Zacarias; de Japaratuba, o procurador do município, Fábio Augusto e a  juíza do município de Neópolis, Rosivan Machado da Silva.

 

 

 

Fotos: Joel Luiz/Agência de Notícias Alese

 

Outras notícias para você