Por Assessoria Parlamentar

Dar voz às jovens que desenvolvem iniciativas que visam fortalecer a rede de proteção, valorização e apoio às mulheres tem sido uma das principais frentes de atuação da deputada estadual e líder da oposição, Kitty Lima (Cidadania), que participou na manhã desta quinta-feira, 14, de uma reunião entre o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), a vice-governadora de Sergipe, Eliane Aquino, e representantes do Atheneu ONU Mulheres. As alunas da rede estadual de ensino apresentaram aos membros do Legislativo um projeto de combate a pobreza menstrual que atinge crianças e adolescentes de todo o estado com o intuito de combater o problema que tem afetado a saúde de muitas jovens e contribuído diretamente para o crescimento da evasão escolar entre as meninas.

O projeto apresentado pelas jovens visa instituir o ‘Programa Absorvente é Direito’, que determina como obrigatoriedade e dever do estado o fornecimento e distribuição do absorvente higiênico em escolas públicas de todo o estado. A estudante e fundadora do Atheneu ONU Mulheres, Lenice Ramos, movimento que tem como objetivo influenciar jovens mulheres a entenderem que elas podem ocupar qualquer lugar na sociedade e lutar pelo fortalecimento das pautas em defesa dos direitos da mulher, explica que utiliza várias referências femininas para que as meninas se sintam motivadas a entenderem a política além do ambiente partidário, mas também como cidadania para conquista e ampliação da rede de direitos das mulheres.

“A pobreza menstrual é, infelizmente, uma realidade para muitas jovens que não têm condições de comprar absorvente íntimo, uma situação muitas vezes constrangedora que acaba refletindo de diversas formas prejudicando a saúde por conta de métodos não apropriados para conter o sangramento, e acarretando em problemas de saúde, e contribuindo para a evasão delas das salas de aula. Queremos mostrar aos gestores que essa realidade precisa ser mudada e por isso apresentamos nosso projeto para tornar a distribuição de absorventes âs estudantes da rede pública de ensino uma política pública de saúde da mulher”, pontuou Lenice.

Para Kitty Lima, o comprometimento das estudantes com pautas importantes para a luta em defesa do direito das mulheres mostra que as novas gerações estão conscientes e empenhadas na construção de uma sociedade mais justa e equilibrada.

“Fiquei muito feliz em ver mulheres tão jovens e já tão empenhadas com pautas femininas, e poder discutir com elas um assunto tão atual e necessário como a pobreza menstrual mostra que estamos no caminho certo no que diz respeito ao empoderamento feminino. Um orgulho enorme em receber esse projeto que busca dar dignidade às jovens que não têm condições de arcar com os custos para compra do absorvente íntimo, estamos aqui falando de uma importante política de saúde pública para meninas que colocam sua saúde em risco com métodos perigosos para conter o sangramento da menstruação. Não podemos mais permitir que essa realidade perdure”, afirmou Kitty.

A parlamentar é autora de um Projeto de Lei já protocolado na Alese que visa distribuir absorventes higiênicos para estudantes da rede pública de ensino em todo o estado, porém o texto sequer foi inserido na pauta de votação da Casa Legislativa. Durante a reunião, Luciano Bispo se comprometeu em agilizar a análise da proposta, juntamente com o projeto apresentado pelas estudantes do Atheneu ONU Mulheres, para que o assunto possa ser discutido e votado pelos deputados.

“Protocolamos esse projeto e estamos aguardando que ele seja inserido na pauta de votação. Esse assunto tem ganhado repercussão nacional nos últimos meses e traz à tona a urgência de apreciação do nosso projeto a fim de frear o crescimento da evasão escolar dessas jovens, sem contar da importância dessa iniciativa como uma política de saúde pública voltada à mulher. Como líder da oposição, seguirei firme na cobrança para que esse projeto chegue para votação o mais rápido possível, e espero contar ainda com a colaboração dos meus colegas deputados e o apoio de toda população”, torce Kitty.

Para a vice-governadora Eliane Aquino, é preciso trazer esse debate para o parlamento e dar o protagonismo real para essas meninas uma vez que são elas que vivenciam na base todos os problemas sociais que afligem, principalmente, as camadas mais populares.

“Cada vez mais tenho dito que nós enquanto gestores e gestoras públicas precisamos olhar para a primeira infância, para a adolescência e dar a oportunidade para que essas meninas cresçam juntos conosco, nós não somos donos do saber, não temos todas as repostas e somos representantes da população, e o único sentido de estarmos aqui é para construir a base para que eles tenham uma vida bem melhor lá na frente, por isso precisamos estar atentos as iniciativas que visam a melhoria da qualidade de vida delas”, disse Aquino.

 

Foto: Joel Luiz