Por Assessoria do Parlamentar

No último sábado, 13, em várias cidades do Brasil, a população saiu nas ruas, em um momento de alta da inflação, para participar da “Marcha Contra a Fome”. O deputado estadual Iran Barbosa, do PT, participou da atividade, em Aracaju, e registrou a sua realização, durante a Sessão da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), nesta manhã, 16.

De acordo com Iran, a Marcha foi organizada e convocada pela Frente Povo Sem Medo, pela Campanha Fora Bolsonaro, movimentos sociais, centrais sindicais, entidades estudantis

“Estive presente na ‘Marcha Contra a Fome’ contra a carestia e o desemprego que assolam o nosso país. A nossa luta é em defesa da vida, por dignidade e comida na mesa para o povo brasileiro”, afirmou Iran.

“Trago para esta Casa, o clamor do povo e do trabalhador contra a fome, denunciando a política oficial que temos em andamento no Brasil, que ao invés de tentar construir o acesso à alimentação, produz miséria, fome e exclusão”, falou.

Dados

Iran aproveitou a oportunidade para apresentar dados contidos no relatório de pesquisa sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil realizado pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN).

A pesquisa revela que mais da metade da população brasileira (116,8 milhões) sofre algum tipo de insegurança alimentar; 19,1 milhões de brasileiros passam o período de 24 horas sem ter o que comer, ou seja, passam fome; em apenas dois anos, o número de pessoas em situação de insegurança alimentar grave saltou de 10,3 milhões para 19,1 milhões.

“Esses números não são apenas números, esses números são a expressão da dificuldade pela garantia da vida de parcelas importantes da população brasileira”, lamentou.

“O desmonte das políticas de assistência tem dificultado, cada vez mais, o acesso ao mínimo de renda para que as pessoas sobrevivam. É importante também destacar como os preços públicos têm influenciado na insegurança alimentar do nosso povo, assim como o preço do gás de cozinha, e dos alimentos”, acrescentou Iran Barbosa.