Por Aldaci de Souza – Rede Alese

Após apresentação de dados do Tesouro Nacional pelo deputado Zezinho Guimarães (MDB) sobre as finanças dos estados, em que Sergipe aparece em 7º lugar no Brasil com 49,2%, podendo chegar a mais de 63%, quanto à receita corrente líquida em comparação ao pagamento de pessoal, extrapolando a Lei de Responsabilidade Fiscal; o deputado Iran Barbosa (PT), fez uma análise na sessão desta quinta-feira, 8 na Assembleia Legislativa de Sergipe.

Segundo ele, com os dados divulgados, as pessoas podem acreditar que os grandes responsáveis pelas mazelas, pelo engessamento e pela falta de possibilidade de investimentos no estado são os servidores públicos. Para Iran, quando se colocam os dados sozinhos, fica parecendo que os servidores públicos são responsáveis por abocanhar a maior parcela de recursos do estado.

“E não é assim. A comparação é feita com grandeza e fica parecendo que são lagartas que comem a estrutura da administração; não é que cresceu os salários dos servidores públicos e nem a quantidade de servidores. Tem havido uma letargia, uma negligência e em alguns casos uma irresponsabilidade com a política de arrecadação do estado”, afirma enfatizando que o país está muito viciado em jeitinhos.

“Eu vejo muitas vezes, secretários de Fazenda nos seus argumentos, dizerem que têm que ter enxugamento do serviço público. Chega um momento que isso estrangula, pois enxugar o serviço público é mexer com os professores, com os médicos, com os trabalhadores. É claro que os excessos precisam ser queimados, mas é preciso azeitar a máquina arrecadadora com uma boa política fiscal e uma legislatura justa. Os governantes não tomam iniciativa nesse sentido, a exemplo da justiça tributária”, entende.

Foto: Jadilson Simões