Inciada hoje a ‘Semana Estadual de Prevenção do Câncer de Boca’

Publicada: 25/10/2022 às 10:32

Por Stephanie Macêdo/Agência de Notícias Alese

O câncer de boca está entre os mais incidentes no Brasil, principalmente na população do sexo masculino. Embora haja estratégias para prevenção e diagnóstico precoce, a maioria dos casos é diagnosticada em estágios avançados. O Instituto Nacional do Câncer, o INCA, estima que o Brasil tenha mais de 15 mil novos casos de câncer de boca ao longo de 2022. 

Lei em Sergipe

Visando alertar a população sergipana sobre cuidados e tratamentos, o Governo do Estado de Sergipe, com a aprovação dos deputados da Assembleia de Sergipe, instituiu a ‘Semana Estadual de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Boca’. De acordo com a Lei Estadual de nº 7459/2012, o evento deve ser realizado, anualmente, no período de 25 a 31 de outubro – iniciando assim, mediante lei, nesta terça-feira, 25 de outubro.

Elevar a consciência sanitária da população sobre o câncer bucal; promover atividades de educação em saúde bucal, voltadas prioritariamente aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS); realizar ações de diagnóstico precoce do câncer bucal; e estimular que os demais profissionais de saúde do Estado de Sergipe, vinculados às outras esferas governamentais, empresas privadas de saúde ou entidades filantrópicas de saúde, a  participem das atividades de capacitação desenvolvidas pela ‘Semana Estadual de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Boca’,  são alguns dos objetivos destacados da Lei Estadual.

“A taxa de cura do cânce de boca hoje é de 80%”, externou o dentista Helmut Neto.

Nesse contexto, o papel dos cirurgiões-dentistas é fundamental para o controle do câncer de boca. De acordo com  o dentista Helmut Hagenbeck Neto, a detecção precoce desse câncer contribui para o tratamento em tempo oportuno. Contudo, alerta que a Saúde Bucal não se resume em apenas tratar dos dentes do paciente.

” A saúde bucal não vem simplesmente do  tratar dos dentes do paciente, essa visão é errônea, e sim  tratar a cavidade bucal como um todo. O ideal não é só procurar o dentista quando o dente incomoda. A prevenção e o diagnóstico do câncer de boca começa na Saúde da Família, com os assistentes sociais, agentes de saúde, com o  dentista e médico da família, quando vão diagnosticar a lesão e consequentemente tratá-la. É muito importante detectar essa lesão precoce, pois ao fazer o tratamento mais rápido, a taxa de sucesso da cura se torna maior. Segundo o INCA, o câncer de  boca é o 5º  maior nos homens, na tabela do câncer, sendo o 7º  nas mulheres, com tendência  de aumento a nível mundial. Então, quanto mais cedo diagnosticado, maior é a taxa de cura, que hoje é de 80%”, externou.

Sintomas

Helmut Neto salienta que os principais sinais que devem ser observados são a lesões na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias; manchas ou placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, palato (céu da boca), mucosa jugal (bochecha); nódulos (caroços) no pescoço e rouquidão persistente.

“Se o paciente perceber alguma alteração na cavidade oral, o ideal é procurar a unidade básica de saúde para que o  profissional competente faça o plano de tratamento a ser seguido. Um dos maiores fatores do câncer é o tabaco, segundo pesquisa, 90% dos pacientes diagnosticados eram consumidores de cigarros. Seguido do vírus HPV e da radiação solar”, destacou H

Difusão

Para tentar mudar este quadro no Brasil, o INCA, em parceria com professores universitários de estomatologia e patologia oral do Estado do Rio de Janeiro, lançou, nesta última sexta-feira, 21, o livro Diagnóstico precoce do câncer de boca. O material técnico é dirigido aos cirurgiões-dentistas, como mais uma ferramenta para auxiliar no diagnóstico, garantindo o sucesso do tratamento e qualidade de vida do paciente.

 

 

Fotos: Joel Luiz- Agência de Notícias Alese

 

 

 

 

Outras notícias para você