Hemose alerta doadores de sangue para ingestão de alimentos ricos em ferro

Dados do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) revelam que, de janeiro a agosto deste ano, 1.510 voluntários não realizaram a doação de sangue em função da hemoglobina baixa, ou seja, os níveis de ferro presentes no sangue estavam abaixo do recomendado para doar. O serviço de coleta de sangue prioriza a segurança do doador e do receptor.

O Hemocentro utiliza a dosagem de hemoglobina ou o micro-hematócrito como métodos de triagem.  A metodologia cumpre a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) nº 34, de 11 de junho de 2014, do Ministério da Saúde (MS), que determina as condições necessárias para se tornar um doador de sangue. Os valores mínimos e máximos para liberação da doação são os seguintes: Hemoglobina – homens de 13mg/dl a 18mg/dl, e mulheres, 12,5mg/dl a 16mg/dl (miligrama/decilitro). Já para micro-hematócrito: homens maior ou igual a 39% e menor que 54%, e mulheres maior ou igual a 38% e menor que 54%.

Esse serviço é realizado no setor de pré-triagem do doador, que também verifica a medição do peso e altura, aferição da pressão arterial e a dosagem da hemoglobina, que são os níveis de ferro presentes no sangue do candidato à doação.

“No caso de não atingir esses volumes/índices, o voluntário é considerado inapto para doação e é orientado a procurar um serviço de saúde para realização de exames laboratoriais”, explica a enfermeira Florita Aquino, gerente de Coleta do Hemose.

De acordo com Florita Aquino, os sintomas da carência de ferro são inespecíficos, exigindo a realização de exames laboratoriais para confirmação do diagnóstico de anemia. Ela explica que esse tipo de deficiência nutricional pode atingir crianças, gestantes, lactantes, adolescentes e mulheres adultas em fase de reprodução, e, homens adolescentes, na fase adulta e idosa.

“Ao avaliar um quadro de possível anemia, sugerimos que o voluntário procure seu médico para solicitação de exames mais detalhados, e também prestamos orientação alimentar, com a ingestão de alimentos ricos em ferro. Os serviços do Hemocentro visam a garantia da saúde do doador e a segurança do paciente que receberá a transfusão sanguínea”, complementa.

A enfermeira cita, ainda, que as melhores fontes naturais de ferro são as de origem animal, como fígado. Entre os de origem vegetal tem o feijão, grão-de-bico, fava, lentilha, ervilha, grãos integrais, nozes, castanha, rapadura, açúcar mascavo e as hortaliças (couve, agrião, taioba, salsa), além da farinha de trigo e milho, cereais matinais, suco de jenipapo, entre outros.

Doação de sangue

Estão aptos a doar sangue candidatos em bom estado de saúde, idade entre 16 anos completos e 69 anos, peso acima de 50 Kg. Menor de 18 anos somente com termo de autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, com foto, válido em todo território nacional. Mais informações, através dos telefones (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Por Agência Sergipe de Notícias -ASN

Outras notícias para você