Por Aldaci de Souza

 Em pronunciamento feito na sessão desta quarta-feira, 15, na Assembleia Legislativa de Sergipe, o deputado Francisco Gualberto (PT), voltou a defender a tese de que o Governo do Estado discute a possibilidade de conceder um reajuste aos servidores públicos estaduais em 2022.

“Nessa área temos que reconhecer que o governo Belivaldo Chagas avançou muito; avançou nos concursos públicos para vários setores, avançou em algumas negociações com a categoria, fez chamamento de concursados, colocou os salários dentro do mês, ajustou o estado financeiramente e de forma fiscal. Agora está posta a possibilidade de dar um reajuste aos servidores no próximo ano. Eu defendo a tese que contraria algumas pessoas que não têm solidariedade de classe,  são servidores mas estão no sistema capitalista e querem resolver o próprio problema”, ressalta.

Francisco Gualberto acrescentou que, supondo que o governador possa dar 10% de reajuste para quem ganha 20 mil reais é 2 mil reais, o dobro de um salário de uma merendeira, um vigilante e um assistente administrativo.

“Estou defendendo a tese de que tenha um índice linear maior para aqueles que têm plano de cargos e salários, a chamada arraia miúda, por Marcelo Deda, exemplo de trabalhadores da Fundação Aperipê e da Secretaria de Estado da Educação. Um reajuste linear para todos pode significar que, quem ganha 25 mil, troca de carros, faz uma reforma no apartamento ou recupera seu padrão de vida pelas perdas de inflação. Mas um reajuste maior para quem ganha menos, significa que vai poder comprar uma sandália para o filho, comprar um quilo de arroz a mais e remédios, diminuindo as dificuldades de sobrevivência. Espero ter o apoio de todos dessa Casa, pois se não temos o ideal, vamos fazer o melhor possível, já que o cidadão trabalhar e não ter o que comer todo dia, é uma situação que não pode nos deixar confortáveis”, enfatiza.

Foto: Jadilson Simões