O deputado Gilson Andrade (PTC) utilizou a tribuna no grande expediente desta terça-feira,12, para abordar três temas distintos. Inicialmente ele parabenizou todos os médicos Obstetras pela celebração do dia da classe, comemorado hoje, em nome de alguns colegas que representam essa especialidade, citando Doutor Raulino, Dr. Hugo Gurgel, Dr. Hermelino, Dr. Mittidieri, Dra. Eline Gurgel, Dr. Cassemiro, Dr. Brito, Dr. Adriano Seixas, Dra. Angélica Guimarães, saudando tantos outros colegas que atuam na Obstetrícia em Sergipe, profissionais que percebem os primeiros movimentos da vida.

“É uma especialidade que eu tenho um carinho muito grande. Se eu tivesse outra oportunidade de viver seria médico e mais uma vez Obstetra. Estou aqui exercendo meu segundo mandato, mas, em nenhum momento deixei de ser plantonista da Maternidade Amparo de Maria. Hoje à noite estarei no exercício da minha profissão, da arte de partejar. Domingo último por 24h estive de plantão e saí ontem, segunda-feira às 7h da manhã. Faço isso porque gosto, porque admiro essa especialidade e só deixarei de fazer um dia quando Deus não permitir ou quando minhas condições físicas não permitirem que eu possa atuar”, salientou.

Greve na Educação Estadual

Em seguida, o parlamentar falou sobre o caos existente há mais de dois meses desde que foi iniciada na rede pública estadual a greve dos servidores da Educação, Vigilantes, Merendeiras e Serviços Gerais. O deputado Gilson Andrade informou que ontem, segunda-feira, 11, na cidade de Estância, alunos das quatro maiores escolas da rede estadual da cidade, as escolas Arabela Ribeiro, Walter Franco, Gilson Amado e Gumercindo Bessa, fizeram uma manifestação que também perdurou hoje pela manhã com a paralisação das aulas com o objetivo de chamar a atenção do Governo do Estado e do secretário da Educação para que sejam tomadas providências, e assim, resolvida de uma vez por todas essa questão da greve desses servidores que está afetando diretamente o aluno.

“O aluno vai para a escola que já não tem segurança com a presença do vigilante e imagine sem. As escolas estão sem merenda porque não tem quem faça, e não está sendo realizada a limpeza porque não está indo o pessoal de apoio para realizar esse serviço. Algumas vezes a direção da escola e alguns professores fazem esse papel lavando banheiro, varrendo as salas de aulas ou até os alunos e pais são convidados para fazer esse trabalho nas escolas da rede pública estadual de Sergipe. Por isso, os alunos sensíveis com todo esse problema estão se mobilizando e paralisando suas atividades clamando para que seja resolvida essa questão da greve, pois, chegou ao ponto da diretora do Colégio Estadual Arabela Ribeiro ser ameaçada por um cidadão que entrou armado na escola, amedrontando todos que lá estavam. Faço o apelo para que o Governo do Estado através da Secretaria de Estado da Educação urgentemente resolva essa questão de uma vez por todas para que esses servidores voltem a trabalhar”, salientou.

Impedimento de manifestação na Ponte da Cachoeira

O último tema abordado no discurso do deputado Gilson Andrade foi mais uma vez fazer o apelo ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) com relação aos reparos urgentes e necessários na ponte da Cachoeira, localizada no trecho da BR-101, em Estância. Ele relatou que nesta terça-feira, 12, às 9h, quando integrantes do movimento que realizavam uma paralisação na naquela ponte foram surpreendidos por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) com a liminar impedindo que eles que realizassem a manifestação.

“A Polícia Rodoviária e o DNIT foram comunicados previamente, mas, essa comissão foi surpreendida com essa liminar da justiça sergipana impedindo que a população se manifestasse devido ao risco de desmoronamento e as condições precárias que se encontra a Ponte da Cachoeira que foi construída há 50 anos e está com todo seu alambrado praticamente destruído. A imprensa sergipana esteve no local e tem conhecimento disso, inclusive, tem relatado através dos seus jornais e programas televisivos. Estou aqui com uma matéria publicada pelo Jornal da Cidade no último domingo falando sobre essa questão”, disse.

“Espero que não tenhamos um acidente e que algo não possa vir a acontecer naquela ponte que precisa de manutenção e fiscalização, assim como as demais pontes em todo nosso Estado de Sergipe. No ano passado houve o desmoronamento de uma ponte que não era utilizada para o tráfego de veículos, mas por onde pessoas e animais passavam. Com isso, Aracaju ficou praticamente uma semana sem água. Desejo que um desastre não aconteça na ponte da Cachoeira por onde passam diariamente centenas de veículos pesados e pessoas que necessitam trafegar”, expressou.

O parlamentar esclareceu que em maio do ano passado fez uma Indicação para que o DNIT pudesse resolver essa situação, inclusive, ele participou de uma audiência pública no Ministério Público Federal, onde também estiveram representantes de Estância, da prefeitura municipal, do DNIT, mas até o momento nada foi resolvido. “Apelamos para que o DNIT possa o mais rápido possível se reunir com a comunidade de Estância, principalmente as mais afetadas e possa dar a essas pessoas uma condição para que elas possam tem segurança no ir e vir por essa ponte. Lamentamos a forma como a justiça sergipana agiu, pois, ao invés de cobrar ação efetiva do DNIT, impediu a realização de uma manifestação que foi previamente comunicada aos órgão competentes. Peço que a imprensa sergipana possa dar ênfase a essas questões para que junto com esta Casa possamos fazer força e assim o DNIT possa sanar de uma vez por todas essa situação”, finalizou.