O Dia Internacional da Dança foi criado em 1982 pelo Comitê Internacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). A escolha veio em homenagem a Jean-Georges Noverre, um mestre do balé francês, conhecido por ter escrito uma das obras sobre a dança mais importantes da história, Lettres sur La Danse ou “As Cartas Sobre a Dança”. A data está associada a uma personalidade brasileira de importância no balé: Marika Gidali, bailarina co-fundadora do Ballet Stagium em São Paulo, que a exemplo de Jean-Georges Noverre também nasceu no dia 29 de abril.

A dança, juntamente com o teatro e com a música, é uma das artes cênicas principais desde a Antiguidade. Ainda na Pré-História (com imagens gravadas nas paredes das cavernas) a dança era uma prática comum nas mais diversas situações. Por exemplo, na Grécia Antiga, a dança era utilizada no culto de algumas religiões, assim como no Egito Antigo, que era praticada a dança do ventre, para homenagear deuses.

Lu Spinelli

Um dos expoentes da dança em Sergipe é a bailarina Lu Spinelli, falecida em 11 de novembro do ano passado. Spinelli comandou a escola de dança Studium Danças e foi integrante do Conselho Estadual de Cultura e conselheira e delegada Conselho Brasileiro de Dança (CBDD). Recebeu a Medalha de Honra ao Mérito Artístico concedida pelo CBDD, vinculado a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). A homenagem foi concedida à artista em reconhecimento pelo trabalho de divulgação da dança que ela vinha executando ao longo de sua carreira.