Por Assessoria do Parlamentar

O deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) lamentou a rejeição da emenda modificativa que ele protocolou ao projeto de lei 255/2021 que trata do orçamento anual para 2022. A emenda garantia o remanejamento de uma verba de mais de R$ 700 mil que foi destinada para o Consórcio do Nordeste para a aquisição de cestas básicas. A rejeição da proposta aconteceu durante a votação realizada na manhã desta terça-feira (21), na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

Para Georgeo, a postura dos deputados foi injusta e não beneficia o povo sergipano. “Todo mundo sabe o prejuízo que o Consórcio do Nordeste nos causou. Nós não estamos devendo ao Consórcio, é o contrário. Então, não é certo o Governo destinar mais dinheiro para pagar os custos com altos salários, aluguéis e diárias das pessoas que trabalham no consórcio O justo era que esse recurso fosse usado para a compra de cestas básicas. A postura dos colegas deputados foi injusta e não beneficia os sergipanos”.

O parlamentar lembrou que na pandemia do Coronavírus, R$ 48 milhões foram encaminhados ao Consórcio do Nordeste pelos estados nordestinos e este dinheiro deveria ser usado na compra de respiradores que nunca foram entregues. “Os estados nordestinos gastaram uma fortuna e não receberam nenhum respirador e nem a devolução total do dinheiro. A CPI Covid do Rio Grande do Norte está indiciando os responsáveis pelo Consórcio e nós vamos beneficiá-los ainda mais com dinheiro”.

Não é justo que esse o Governo destine dinheiro para um órgão que só trouxe prejuízos aos cofres sergipanos, enquanto existem pessoas aqui que estão passando fome. A nossa emenda pretendia fazer com que esse valor fosse encaminhado para a Secretaria de Inclusão e Assistência Social do Estado para aquisição de cestas básicas para os sergipanos que estão passando fome, mas infelizmente o Governo Belivaldo Chagas prefere passar a mão na cabeça dos responsáveis pelo Consórcio e deixar os sergipanos com fome”.