Por Habacuque Villacorte

Em meio a tantas discussões em torno da compra de novos imunizantes pelos Estados e o envio de mais vacinas contra a COVID-19 pelo governo federal, através do Ministério da Saúde, eis que os deputados estaduais chamam atenção para a “lentidão” no processo de imunização em alguns municípios do interior. Para os parlamentares essa demora pode resultar em perdas incalculáveis.

Deputada estadual Goretti Reis

A deputada estadual Goretti Reis (PSD), que é membro da Comissão Nacional de Acompanhamento da Vacinação (Conav/Unale), criada pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), tem procurado entrar em contato, diretamente, com as secretarias municipais de Saúde. “Cobramos mais celeridade, por parte de alguns municípios sergipanos, no processo de imunização da população mais idosa contra a COVID-19. A gente lembra o quanto tem sido difícil para se garantir a aquisição de novas vacinas e não é aceitável que, quem possua vacinas em seus domínios, não esteja efetivamente fazendo a imunização”.

“Estou ligando para as secretarias de Saúde dos municípios e tenho me colocado à disposição. A gente precisa saber o que está ocorrendo para tanta lentidão. É falta de local para refrigerar? É falta de pessoal para vacinar? É dificuldade na hora de fazer o cadastro e ir até as casas das pessoas? A gente vem atuando de forma intensa para entender o problema e tentar resolver. O importante é não perder doses e salvar vidas”, cobrou a deputada.

Em seguida, Goretti pontuou que um problema já identificado para a lentidão desse processo de imunização no interior também passa pela falta de vacinas. “Estão faltando imunizantes lá na ponta! Há uma demora neste sentido também, enquanto isso, temos vidas perdidas e famílias destroçadas. Há muita lentidão e a gente tenta ajudar de todas as formas”.

Zezinho Sobral

Deputado estadual Zezinho Sobral

Já o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Zezinho Sobral (PODE), entende que os prefeitos que enfrentam dificuldades para imunizar seus munícipes devem procurar ajuda. “O nosso alerta é para que todos os municípios que não estão no mesmo patamar de vacinação, possam buscar auxílio para que possam imunizar todos os munícipes. Enquanto a capital e a região da Grande Aracaju estão com níveis satisfatórios e sendo ágeis, outros ainda não conseguiram imunizar os públicos-alvo”.

Para Zezinho Sobral é essencial que todos entrem em consonância, que alimentem os dados do Plano Nacional de Imunização e que façam a busca ativa das pessoas que se encaixam nos grupos prioritários. “Os órgãos de controle também podem contribuir na fiscalização e auxiliando nas estratégias. É momento de somar esforços para que a população sinta-se protegida. É importante que se trabalhe em conjunto para um único objetivo: vacinar a população com rapidez e eficácia”, completou.

Fotos: Joel Luiz