Por Stephanie Macêdo – Rede Alese

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) enfatiza a  importância da população prioritária, ou seja, idosos e trabalhadores da saúde, tomar a vacina contra gripe, cuja campanha iniciou na última segunda-feira, 23.  Segundo o Ministério da Saúde, a meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um desses grupos até o dia 22 de maio. Para controlar a gripe  serão disponibilizadas 75 milhões de doses da vacina em todo o país, com previsão de alcançar 67,6 milhões de pessoas.

““Estamos enfrentando uma pandemia em virtude do Coronavirus e precisamos estar atentos aos instrumentos que são colocados à disposição como forma de proteger a população”, disse a parlamentar.O dia D de mobilização ocorrerá somente no dia 9 de maio, mas é imprescindível que as pessoas que se encaixam no público prioritário já se adiantem para se precaver”, alertou a deputada, enfatizando ainda que “se faz  necessário que os idosos e profissionais da saúde, que têm um papel ainda mais relevante nesse momento, apressarem -se para se vacinar”, observou Maria..

A parlamentar observou que ao antecipar a campanha para este mês, o Ministério da Saúde busca reforçar a proteção contra os vírus mais comuns da gripe. “Pelo que tem sido dito pelos especialistas, a vacina contra a gripe não tem eficácia contra o Covid-19, mas em virtude da pandemia, a medida poderá auxiliar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para o coronavírus, uma vez que os sintomas são bem parecidos”.

Segundo Maria,  momento é de precaução e cuidado por parte de todos os cidadãos. “Mantenhamos o isolamento, fiquemos em nossas casas até que a situação esteja controlada. Não vivamos em pânico. O momento exige responsabilidade porte parte de cada um para que passemos por essa, com o mínimo de dano possível”, declarou a deputada.

Calendário de Vacinação

Desde  23 de março: idosos com mais de 60 anos ou trabalhadores de saúde podem tomar a vacina;

A partir de 16 de abril: é a vez dos professores e profissionais de segurança e de salvamento;

A partir de 9 de maio: crianças de seis meses a menores de seis anos, doentes crônicos, pessoas com 55 anos ou mais, grávidas, mães no pós parto, população indígena e portadores de condições especiais.

 

Foto: Jadilson Simões