Delegada e líder comunitário conquistam Cidadania Sergipana

Publicada: 17/11/2022 às 19:15

Por Aldaci de Souza – Agência Alese de Notícias

Foram entregues na tarde desta quinta-feira, 17, dois Títulos de Cidadania Sergipana, no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe. De autoria da deputada Goretti Reis (PSD), as honrarias destacaram os serviços prestados ao Estado de Sergipe pela delegada Mariana Andrade Amorim, que nasceu no Recife, em Pernambuco e pelo líder comunitário Leonildo Barros e Silva, também pernambucano, da cidade de Jaboatão dos Guararapes. Na Sessão Especial, o presidente da Alese, deputado Luciano Bispo agradeceu aos homenageados.

Presidente Luciano bispo agradece aos homenageados pelos serviços prestados

“Nós que fazemos a Assembleia Legislativa é que agradecemos o trabalho desenvolvido pela delegada Mariana Amorim e pelo líder comunitário Leonildo Barros, que mostraram aqui a importância do diálogo no trato com as pessoas e nos cuidados com a saúde. Agora eles não são apenas cidadãos que trabalham em prol da nossa sociedade, mas sergipanos de fato e de direito”, disse o presidente Luciano Bispo.

O discurso da autora das proposituras foi lido pela deputada Maria Mendonça (PDT), porque Goretti Reis está em viagem de trabalho. “As homenagens prestadas são mais que o reconhecimento à dedicação da delegada e do líder comunitário ao povo de Sergipe. Esses Títulos de Cidadania Sergipana  refletem nosso aplauso aos valores da decência, da honradez, da dignidade colhida do esforço e do trabalho honesto, marca registrada tanto da Drª Mariana quanto de Leonildo em suas trajetórias profissionais no nosso estado”, destaca.

No discurso sobre a trajetória da delegada, lido em plenário, Goretti Reis diz que para além de seus deveres funcionais de Mariana Amorim tem revelado aos sergipanos, atributos pessoais que, somados aos profissionais, autorizam e justificam a homenagem prestada.

A deputada Maria Mendonça representou a colega Goretti Reis

“Por onde passa, a Drª Mariana deixa um rastro de bem querência entre as vítimas que atende, de respeitoso temor daqueles que teimam em andar à marem da lei e de figura socialmente compromissada com a comunidade em que atua. Sempre aberta a ouvir, é conselheira amorosa dos que sentem dor e adversária fervorosa dos que causam dor. Num instante em que parte da Nação brasileira parece ter cauterizado suas consciências e aplaudido o crime, cabe a essa Casa reiterar que os valores sergipanos são o do trabalho honesto, da observância às leis, da responsabilidade social e do amor ao próximo”, observa.

Sobre o trabalho de Leonildo em prol dos sergipanos, ela ressaltou que a inquietude do homenageado para fazer o bem para a coletividade o levou a participar de diversos movimentos fundamentais para o engrandecimento das comunidades sergipanas, credenciando-o a receber a justa honraria. “Ao longo da história, as grandes e boas transformações só aconteceram em função da atuação de grandes líderes que agem em defesa do bem comum. E hoje, nesse dia festivo, essa Casa lhe dá as boas-vindas. Sua família lhe abraça; seus amigos lhe abraçam e Sergipe lhe abraça. E se Sergipe não é a terra de seu nascimento, é a terra do seu crescimento. Lugar escolhido por você por adoção e por amor”, disse.

Reconhecimento

Mariana Amorim faz um discurso carregado de emoção e agradecimentos

Mariana Amorim exerceu  com brilhantismo seu papel de delegada em diversos municípios sergipanos a exemplo de Santo Amaro das Brotas, Pirambu, Macambira, São Domingos, Maruim, Areia Branca, Japoatã, Siriri, Divina Pastora, Itaporanga D’Ajuda, Capela e Lagarto, sempre honrando sua instituição com seriedade, profissionalismo, lealdade e dedicação.  Como reconhecimento do trabalho desenvolvido, recebeu o Título de Cidadã Itaporanguense e Cidadã Capelense.

Ao fazer um discurso muito emocionado e sem conseguir conter as lágrimas, a delegada relembrou quando chegou ao Estado de Sergipe, ainda muito jovem.

“Agradeço a esse estado que me abraçou nesses últimos quase 16 anos e onde construí uma vida e crio os meus bens mais preciosos: meus três filhos. Não poderia ter feito escolha melhor pois aqui de fato me sinto em casa, com pessoas acolhedoras e solícitas. O que era pra ser uma passagem de vida, acabou se tornando o meu lar. Desde muito nova eu sabia que queria ser delegada de polícia, mesmo que no começo meus pais não aceitavam muito bem pois tinham medo dos riscos da profissão, mas perceberam que não iriam me fazer mudar de ideia e passaram a ser meus maiores incentivadores. Cheguei aqui muito jovem, uma menina que mal sabia cuidar de si mesma e encontrou na pequena cidade de Santo Amaro das Brotas, diversas situações para resolver, percebendo que a minha atividade ia muito além de toda a doutrina estudada em cinco anos, pois nas pequenas cidades do interior, muitas vezes os artigos de lei são os que menos importa: o delegado de polícia é visto como um ser ímpar, com poderes pra dizer o que está certo, o que está errado e o que deve ser feito. Cabe a nós apaziguar e tentar extrair do diálogo tumultuado o ponto que trará o equilíbrio de volta”, enfatiza agradecendo a deputada Goretti Reis e toda a equipe com quem trabalhou nos diversos municípios e a que trabalha atualmente.

Isaque Cangussu, presidente da Adepol agradeceu o reconhecimento da Alese à Dra Mariana

Para o presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol), Isaque Heverton Dias Cangussu, cada Título de Cidadania entregue a um delegado é um afago no coração.

“Eu como representante da classe tenho uma enorme felicidade e muita gratidão aos deputados que sempre vêm reconhecendo o trabalho dos delegados de polícia e a Drª Mariana não poderia ficar de fora. Essa é uma homenagem mais do que que merecida; ela que é pernambucana, mas agora se torna sergipana de fato e de direito, já reside aqui; teve seus filhos em Sergipe e vem desempenhando um trabalho excelente nas delegacias que tem passado, tanto no interior e agora na capital. Meus parabéns à Drª Mariana, meu agradecimento à deputada Goretti Reis que teve a iniciativa e a todos os parlamentares que aprovaram essa comenda”, reconhece.

Luta por melhoria

Leonildo Barros e Silva nasceu na cidade de Jaboatão dos Guararapes/PE. Filho mais velho de família numerosa; viu sua mãe (viúva) e humilde criar seus 10 filhos transmitindo-lhes aquilo que mais lhe era importante: os princípios éticos e morais que possibilitaram que seus filhos se tornassem adultos comprometidos com a moralidade e com a decência e responsabilidade social. Em 1983 Leonildo veio trabalhar em Aracaju como técnico de edificações. Em 1985 convida a então noiva Marizete Maria da Silva Barros para conhecer Aracaju, e esta não mais retornou a Pernambuco. Aqui se casaram, fixaram residência e constituíram família composta por três filhos e dois netos. 

Leonildo Barros destacou a luta pela saúde dos sergipanos

Atuando como líder comunitário desde 1997, Leonildo lutou por melhorias de infraestrutura e desenvolvimento social. A mobilização conjunta com a comunidade e outras lideranças garantiu avanços e conquistas para o conjunto em que morava,  Contribuiu decisivamente para o lançamento do Projeto da Polícia Comunitária (PAC) do conjunto Orlando Dantas e desenvolve trabalhos junto às escolas públicas e particulares de formação cívica, fortalecendo o respeito à Pátria com apoio e incentivo ao desfile cívico. Pelo trabalho desempenhado concorreu para o Conselho Tutelar, tendo sido eleito para o período de 2001 a 2004.

Essas Iniciativas e conquistas credenciaram o homenageado a permanecer no cargo de presidente da Associação do conjunto Orlando Dantas até hoje. Com vastas realizações que beneficiam a comunidade, ele desenvolve eventos de cunho social e religioso. É membro do Conselho Local de Saúde, representando os interesses da comunidade frente à Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju. Criou a Associação para Manutenção e Preservação de Áreas Públicas (AMPAP) e lançou, em 2010, o Projeto Comunidade Limpa através do Conselho local de Saúde, iniciando um projeto pioneiro, de reciclagem de material da comunidade, servindo de modelo que é replicado no Estado. 

Momento do Hino Nacional

Devido ao excelente trabalho desenvolvido na comunidade, foi convidado pelo ex-governador João Alves Filho, para assumir a administração de um campo de futebol em 2006, através de um contrato de adoção do espaço para a Associação de Moradores, o projeto ainda é sucesso. Em 2022, a Associação iniciou um trabalho social com artesãos e lojistas que vieram a fechar seus comércios, perdendo o sustento de suas famílias, por causa da pandemia da Covid-19. Assim, criou-se a Feira de Artesanato, localizada na Praça Dário Nunes, em frente à Escola Municipal Áurea de Melo. A Exposição de Artesanatos e Variedades (EXPAV), realizada uma vez por mês e iniciada em março de 2022, conta com 50 associados.

No discurso, Léo Barros como é conhecido disse ter percorrido um longo caminho.

 

Familiares dos homenageados

“Comecei minha trajetória de vida no conjunto Eduardo Gomes em São Cristóvão e andei por vários conjuntos habitacionais, indo parar no Orlando Dantas, criando raízes lá. Durante esse tempo o estado me ofereceu várias oportunidades, mas eu me identifiquei com os movimentos naquela comunidade, trabalhando na Associação de Moradores, na Igreja Católica e na Unidade de Saúde Geraldo Majela, lutando pela melhoria da saúde e da qualidade de vida das pessoas. Precisamos olhar pelos serviços desenvolvidos nos postos de saúde, pelos médicos, e agentes de saúde que fazem um trabalho maravilhoso e precisam ser reconhecidos. Olhar com bons olhos a saúde para que as pessoas não passem muito tempo aguardando tratamento. Só tenho a agradecer à Casa que representa o estado e aos sergipanos por terem me acolhido e me abraçado com muito carinho”, afirma.

Fotos: Jadilson Simões

 

Outras notícias para você