Nos últimos dias surgiu uma polêmica a respeito da limitação do acesso a internet fixa de banda larga. As operadoras queriam cortar o acesso de acordo com a quantidade de navegação, a Anatel dizia que não era adequado, a população reclamava e nada se concretizava.

O problema maior sobre esse assunto, é que as empresas querem limitar o acesso, mas sem antes melhorar a qualidade da internet, que em outros países é muito superior. Para o deputado Georgeo Passos (PTC), a limitação seria um retrocesso. “Nós vemos isso com preocupação, eu entendo a internet como algo que deve ser sempre estimulado de uma forma livre e espontânea. A Anatel deveria se preocupar, primeiramente, com a melhoria desse produto e depois fiscalizar as operadoras que, infelizmente prestam um péssimo serviço de telefonia e de internet”.

No último dia 22 de abril, a Anatel divulgou em sua página que a limitação estava proibida e considerou isso uma conquista importante para a sociedade. “A Anatel acompanha constantemente o mercado de telecomunicações e considera que mudanças na forma de cobrança – mesmo as previstas na legislação – precisam ser feitas sem ferir os direitos do consumidor, razão pela qual proibiu qualquer alteração imediata na forma de as prestadoras cobrarem a banda larga fixa”.

Contra ou a favor? Vote:

SUG 7/2016 (é a sugestão popular) http://bit.ly/24m3sFf
PDS 14/2016 (muda resolução da Anatel) http://bit.ly/1SK0dT0
PLS 174/2016 (coloca proibição no Marco Civil da Internet) http://bit.ly/1WsvInc
PLS 176/2016 (coloca proibição no Marco Civil da Internet)http://bit.ly/1YVjJgI
PLS 175/2016 (permite a franquia, mas com regras) http://bit.ly/1SuMpNc

Por Camila Ramos – Agência Alese de Notícias