Foi lido na manhã desta quinta-feira, 18 de agosto, durante o expediente da Casa Legislativa (Alese), uma Indicação de autoria da deputada Estadual, Maria Mendonça (PP). No documento legislativo, ação para que o Estado de Sergipe venha adotar providências necessárias à Elaboração e Execução de um Programa de Diagnóstico e Tratamento da Depressão Pós-Parto.

A indicação – respaldada nos direitos do artigo 198 da Resolução nº 33, de 14 de dezembro de 2005, do Regimento Interno da Casa – tem por justificativa, diversas considerações, entre elas: “ Que a mulher é acometida por várias mudanças físicas e emocionais durante a gravidez, e mesmo depois de ter o bebê, essas mudanças podem deixar as mães tristes, ansiosas, confusas ou com medo”.

O texto frisa a seguinte estatística “Considerando que cerca de 60% das novas mães passam por uma forte melancolia após o parto conhecida internacionalmente como Baby blues” e aproximadamente 40% desenvolvem depressão sendo que, deste percentual, 10% apresentam a sua forma mais severa, índice este, extremamente preocupante, pois é, pelo menos, duas vezes maior do que o descrito pela literatura mundial”.

Sergipe

No escopo do texto, casos pontuais: “ Que no Estado de Sergipe, segundo a psiquiatra dra. Ana Angélica Salmeron, chefe do Núcleo de Acolhimento da maternidade Nossa Senhora de Lourdes, em Aracaju, 60% das mulheres, principalmente as primíparas, jovens, estão sujeitas a terem depressão, nos seus variados tipos: leves, moderados, e graves: podendo chegar à depressão psicótica- que é muito grave.

A Indicação que chegou hoje na Casa, vai ser apreciada pelos demais deputados da Assembleia Legislativa. Caso seja aprovada, será enviada ao governador de Sergipe, no sentido de que possa envidar esforços com o escopo de adotar providências necessárias à elaboração de um programa de diagnóstico e tratamento da depressão pós-parto.

Por, Stephanie Macêdo – Agência Alese de Notícias- AAN