A causa dos vigilantes da rede pública estadual ganhou o apoio do deputado estadual Capitão Samuel, que pediu ao governador Jackson Barreto a revisão da tabela do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos (PCCV). O texto, que será homologado pelo governo no mês de maio, preocupa o parlamentar, que espera uma mudança antes de entrar em vigor. O deputado afirma que há distorções na tabela.

“Os vigilantes em início de carreira já começam com um salário mínimo”, destacou Capitão Samuel, que chama a atenção também para a disparidade que existe, nos colégios, com um vigilante público ganhando um salário de novecentos reais e um vigilante privado recebendo o dobro. O deputado disse ainda que conversou com o secretário de Educação, Jorge Carvalho, sobre a formação da categoria.

Segundo o deputado, até o mês de julho o secretário vai iniciar os cursos de qualificação, incluindo o treinamento de policiais militares sobre como atuar na segurança em escolas. “Quanto mais o vigilante for qualificado, mais ele será valorizado”, observou o parlamentar, que espera que o sonho do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos não se ‘transforme num pesadelo’.

Por Dilson Ramos