No dia em que será decidido se o Brasil vive uma democracia ou se será institucionalizado um golpe de Estado no país, a deputada estadual Ana Lúcia mais uma vez analisou o momento político e manifestou seu repúdio e sua indignação com a movimentação golpista. 

A parlamentar usou a tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe nesta quarta-feira, 30, para registrar e repudiar a covardia dos traidores de Dilma e, sobretudo da democracia. Ela explica que eles são os parlamentares que fizeram alianças fisiologistas com o Partido dos Trabalhadores, se aproveitando da grande liderança de Lula e dos programas implementados pelos governos petistas.

Os traidores são aqueles que fizeram aliança porque tem na sua cultura e na sua prática política o uso do poder público e a visão patrimonialista do Estado Brasileiro. Eles não tiveram coragem de ir para o debate com Dilma no Senado e somente ontem declararam o voto, o voto covarde. Pois quem tem coragem e convicção daquilo que pensa enfrenta olho a olho”, ressaltou Ana Lúcia.

Ela destacou ainda o caráter golpista da grande mídia brasileira, em especial o grupo Globo de comunicação, comparando-a à política de comunicação implementada por Goebbels, comunicador de Hitler conhecido por sua habilidade de manipular as massas e por ser um dos responsáveis pela do ascensão nazismo na Alemanha. “Além dos senadores e deputados federais, a gente deve muito da construção desse golpe à Rede Globo”, denunciou.

Ana Lúcia atribui a crise aos a pequenos grupos econômicos que concentram a renda do país, aliados ao capital internacional norteamericano. “Eles dão esse Golpe para que o capital internacional assuma as riquezas deste país, principalmente o pré-sal, mas não apenas o pré-sal. Eles querem a privatização do maior aquífero, que é o Guarani. O que está em jogo é a riqueza desta nação”, lamentou.

Temos a certeza de que vamos resistir. E que continuaremos sonhando e resistindo. Aqui na tribuna, nas ruas, em qualquer espaço social que se faça necessário a resistência e o diálogo com a população para mostrar que é possível construir esse mundo justo, em que as pessoas tenham tolerância”, motivou a parlamentar.

Sabatella: solidariedade e democracia

Em plenário, a deputada ainda leu a carta aberta divulgada ontem, 30, pela atriz Letícia Sabatella, que vem sendo hostilizada e agredida devido à sua postura de denúncia diante do Golpe no Brasil. Na carta, endereçada à presidenta Dilma, ela se solidariza à presidenta, elogia sua “coragem e firmeza” no dia em que foi inquirida por seus algozes e ressalta a necessidade de defesa da democracia.

Não respeitar a decisão das urnas e apoiar esse assalto aos 54 milhões de votos que garantiram seu mandato conquistado em eleições limpas – é desconhecer o sentido de democracia e abrir o precedente para que o jovem sistema político brasileiro não se recupere tão cedo”, ressalta Sabatella em sua carta aberta.

No texto, a atriz e ativista de direitos humanos ressaltou que “o motivo que usam para tirá-la do poder não está baseado em seus erros, mas em seus acerto” e que, mesmo fazendo oposição de esquerda ao governo Dilma, reconhece os avanços trazidos na sua gestão, sobretudo no combate à miséria, ao trabalho escravo, às desigualdades sociais e na valorização da cultura popular.

Sabatella chamou ainda a atenção para os “impactos negativos que já estão sendo perpetrados por forças corruptas, demagogas, hipócritas e oportunistas que desejam implementar no Brasil um programa de governo reacionário, antiecológico e extremamente injusto com a classe trabalhadora”, frisou, referindo-se ao governo golpista de Temer

Procuradora diz “É Golpe!”

Ana Lúcia também elogiou a entrevista com a vice-procuradora da República, Dra. Ela Wiecko, na Veja Online, na qual ela reafirma: “Do ponto de vista político é um golpe”. Na entrevista, a procuradora explica o que a motivou a participar da manifestação contra o golpe e em defesa da democracia, realizada em Portugal, ressalta sua preocupação com o governo Temer e afirma que muitos outros magistrados do Ministério Público Federal também reconhecem e repudiam o golpe de Estado no país.

Por, Assessoria Parlamentar da dep. Ana Lúcia