A deputada estadual Ana Lúcia ocupou o grande expediente na manhã desta quarta-feira, 20, para, mais uma vez, defender a democracia e se posicionar contra o golpe institucional que está sendo articulado no Brasil. Ela mostrou a repercussão do golpe na imprensa internacional e deu visibilidade à nota pública elaborada pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo.

Por meio de imagens de diversas manchetes de reportagens veiculadas em alguns dos maiores veículos de comunicação do mundo, Ana Lúcia demonstrou que a imprensa internacional vem denunciando que o impeachment no Brasil é, na realidade, um Golpe institucional. Esta visão está muito clara entre os principais veículos de comunicação do mundo, entre os quais figuram o “The Guardian”, da Inglaterra, o “New York Times”, dos Estados Unidos, o “El País”, da Espanha.

“A comunidade internacional e os intelectuais reconhecem que este golpe é contra os avanços, é contra aquilo de bom que o governo Lula e o governo Dilma conseguiram fazer para a sociedade brasileira. Este golpe não é contra a corrupção, pois são corruptos que estão comandando este golpe”, destacou.

Para ela, a repercussão da votação do impeachment foi extremamente negativa para o parlamento brasileiro. “O que estamos vendo é o mundo inteiro pasmo, diante da qualidade que foi demostrada à população mundial dos parlamentares. A Câmara Federal ficou realmente desnudada, mostrando quem é que está realmente está representando o povo. Uma vergonha”, lamentou.

“Vamos derrotar o golpe nas ruas”

A nota pública da Frente Brasil Popular e da Frente Povo Sem Medo, lida em plenário por Ana Lúcia, foi divulgada no último domingo, 17. O documento conclama os trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade, e as forças democráticas e progressistas, juristas, advogados, artistas, religiosos a não saírem das ruas e continuar o combate contra o golpe através de todas as formas de mobilização dentro e fora do país.

“Não aceitamos o golpe contra a democracia e nossos direitos! Vamos derrotar o golpe nas ruas!”, aponta o texto. As frentes são amplas articulações de movimentos sociais, partidos de esquerda, centrais sindicais e união de estudantes, que têm feito resistência ao golpe e lutado em defesa da democracia.

O documento afirma ainda que a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo não reconhecem a legitimidade de um pretenso governo Temer, fruto de um golpe institucional. “Tal governo ilegítimo, combaterá cada uma das medidas que dele vier a adotar contra nossos empregos e salários, programas sociais, direitos trabalhistas duramente conquistados e em defesa da democracia, da soberania nacional”, aponta a nota.

EUA

Ana Lúcia destacou ainda o posicionamento do pré-candidato à presidência dos EUA, Bernie Sanders sobre a situação política do Brasil. Ele analisa que os golpes impostos nos países latinoamericanos são sempre sucedidos de massacres contra a população pobre. “O futuro de cada país deve ser decidido pelo seu povo, não pelos Estados Unidos”, citou Ana Lúcia em referência a Sanders, destacando que ele conclamou à Casa Branca a não intervir mais no continente latinoamericano. “Chega de golpe. Chega de sofrimento do povo latino americano pela ambição do capital norteamericano”, finalizou.