Por Kelly Monique Oliveira

Por iniciativa da deputada estadual Maria Mendonça (PSDB), foi realizada na manhã desta quinta-feira, 07, no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), uma palestra com a presidente do Sindicato dos Cirurgiões Dentistas de Sergipe (Sinodonto/SE), Lisandra Ferreira de Lima, e o cirurgião buco-maxilo do Hospital de Urgência de Sergipe Governador João Alves Filho (HUSE), André Silva Góis. Eles falaram sobre a importância do cirurgião buco-maxilo no Sistema Único de Saúde (SUS), como também da sobre a desvalorização profissional da categoria.

De acordo com o cirurgião buco-maxilo, André Silva Góis, essa especialidade odontológica é responsável pelo tratamento de traumas e fraturas nos ossos face, patologias e tumores. Segundo informações do cirurgião, atualmente existem 32 profissionais no Huse e as carências são nas condições de trabalho.

O Huse é o único hospital que tem esse serviço e, além de Sergipe, atende aos estados de Alagoas e Bahia. O município de Aracaju tem buco-maxilo de plantão 24 horas prontos para atender a população. A categoria atende em torno de 30 a 70 pacientes por mês, sendo a grande maioria operada no mesmo dia, com ferimentos ou fraturas, hemorragias dentárias, entre outros traumas mais graves. No momento, não temos carência de profissionais, mas sim de trabalho, pois não temos outro hospital em Aracaju para desafogar as demandas do Huse”, ressaltou. O cirurgião salientou que existe um número reduzido de profissionais que prestam esse serviço na cidade de Itabaiana.

A presidente do Sinodonto/SE, Lisandra Ferreira de Lima, ressaltou que o cirurgião buco-maxilo facial é uma profissão que, na maioria das vezes, é invisibilizada. “Sua atuação tem uma similaridade grande com a medicina, então as pessoas acham que estão sendo atendidas por médicos, quando na verdade, são tratados por cirurgiões buco-maxilo-faciais”, colocou.

Na oportunidade, ela lamentou a remuneração desses profissionais e afirmou que a situação é crítica com perdas salariais ao longo dos anos. Ela relatou que o sindicato vem tentando tratativas com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), com o governador Belivaldo Chagas, mas sem sucesso até o momento. “Então, pedimos apoio desta Casa Legislativa para a criação de um indicativo, com a finalidade que o Poder Executivo apresente um Projeto de Lei equiparando a remuneração dos estatutários com os celetistas. Com isso a gente consegue sanar minimamente o maior problema que estamos tendo para o cirurgião buco-maxilo facial. Não é um pedido difícil, porque são somente 22 profissionais estatutários, pois os demais são concursados ou entraram por meio do processo seletivo. Então, acreditamos que não é difícil para os senhores deputados e nem para o Governo porque o impacto financeiro é mínimo. E, isso significaria justiça, valorização, visibilidade e seria um avanço para toda a classe odontológica”, ressaltou.

Os deputados estaduais Iran Barbosa (PT), Luciano Pimentel (Sem Partido) e a autora do requerimento Maria Mendonça (PSDB) se solidarizaram com a categoria e afirmaram apoio a classe trabalhadora. “Quando a gente observa a disparidade salarial de colegas que realizam as mesmas atividades, e querer que vocês aceitem isso com naturalidade, humanamente é impossível. Aqui, apelo ao Governo de Sergipe e a Secretaria de Saúde, que vejam com bons olhos essa situação que precisa e requer de cada um a sensibilidade necessária para a garantia dos direitos. Posso afirmar que iremos, com o apoio de todos os colegas, apresentar uma Indicação ao Poder Executivo para resolver essa situação”, finalizou a deputada Maria Mendonça.

Foto: Jadilson Simões