Alese concede Título de Cidadania Sergipana a José Wanderley Neto

Publicada: 07/07/2022 às 18:18

7/7/2022

Por Stephanie Macêdo/Agência Alese

Em Sessão Especial, a  Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) concedeu, na manha desta quinta-feira, 7 de julho, o Título de Cidadão Sergipano ao cardiologista e vice-governador de Alagoas, doutor José Wanderley Neto. Amigos, familiares, profissionais de Saúde  e autoridades políticas da capital e municípios de Alagoas  e de Sergipe compareceram à solenidade festiva, que ocorreu no Plenário do Poder Legislativo.

O médico Wanderley Neto fará 73 anos de idade amanhã, 8 de julho, e recebe como presente dos parlamentares sergipanos a honraria da Casa, por relevantes serviços prestados ao Estado de Sergipe. O Título de Cidadão equipara o homenageado a uma adoção oficial, passando a ser um irmão, um conterrâneo, uma pessoa da terra natal.

O vice-governador, Wanderley Neto, enalteceu a honraria, externou que Título de Cidadão Sergipano é a maior honraria da sua vida. “Eu já me considerava cidadão de fato desta terra, e agora sou de direito”, comemorou. Por fim, agradeceu a aprovação, por unanimidade, do Projeto de Resolução.

De púlpito, o vice-governador e cardiologista externou seu amor e trajetória de trabalho por e para Sergipe. “Foi através da medicina e junto com o médico sergipano, meu amigo José Teles, quando há 36 anos fizemos o primeiro transplante do Nordeste, no lendário Hospital de Cirurgia, iniciativa que muito contribuiu para a cardiologia brasileira. De todas as homenagens, essa me toca muito pela ligação que faço com Sergipe. Há 40 anos atrás fazíamos encontro entre Alagoas e Sergipe. E graças a esse título me torno cidadão de fato e de direito”, declarou.

Homenagens

Wanderley Neto foi aplaudido por amigos e colegas da medicina durante recebimento da honraria. O médico cardiologista, José Teles de Mendonça, contemporâneo e amigo particular do homenageado, foi o orador da solenidade, oportunidade que parabenizou o homenageado, destacando importantes iniciativas durante ampla trajetória de vida. José Teles foi também o responsável pelo primeiro transplante de coração do Norte e Nordeste, em 1986.

“Desde o ano de 1974, quando fui acolhido no Rio de Janeiro por doutor Wanderley, que além do meu mentor, pois ele já estava há um anos na cirurgia cardiovascular, me recebeu. Mas não  só como aluno, mas como companheiro e  como irmão. O que surpreende em Wanderley é a capacidade de pensar nos outros, coletivamente. Costumo dizer que daquele momento no Rio de Janeiro e  até hoje, a minha vida e a dele na cirurgia cardíaca é desenvolvida  por uma  pessoa só. Eu e ele somos um nessa atividade. Esse título hoje, Wanderley  está recebendo de direito, pois é muito merecido”, declarou Teles.

O mais novo cidadão de Sergipe é natural de Cacimbinhas, município de Alagoas. É filho de Demorival Targino Wanderley e Noemia Ferreira Wanderley. Iniciou curso secundário no Colégio Pio XII em Palmeira dos Índios (AL) e concluiu o cursou de Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Alagoas em 1973. Após período de  Residência Médica em Cirurgia Cardiovascular no Instituto de Cardiologia Aloysio de Castro, na capital do Rio de Janeiro, seguiu com especializações em vários cursos durante anos subsequentes.

Em 1978 iniciou a Cirurgia Cardiovascular em Alagoas, na Santa Casa de Maceió, local onde organizou um dos mais criativos e conceituados grupos de cardiologia do país, a exemplo do médico cardiologista sergipano, José Teles de Mendonça. Foi na Santa Casa, sob sua coordenação, doutor Wanderley Neto , que foram introduzidas, de modo pioneiro, diversos procedimentos médicos no Norte-Nordeste, como a Angioplastia Coronária, Trombólise Coronária e Transplante Cardíaco.

Wanderley Neto foi presidente de todas as sociedades Médicas Reginais e Nacionais da Cirurgia Cardíaca e do Conselho Regional de Medicina. Membro fundador da Associação Brasileira de Transplante de órgãos, onde foi diretor, como professor na Universidade Federal foi paraninfo de duas turmas de formandos e criou a disciplina de Cirurgia Cardíaca.

Ainda em Alagoas, exerceu o cargo de Secretário de Saúde e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde do Brasil e foi membro do Conselho Nacional de Saúde. Colaborou com o Ministério da Saúde na Implantação do Sistema Nacional de Transplantes, como primeiro coordenador.  Desde 1998, foi articulista no diário ‘O JORNAL’, de Alagoas, onde escrevia poesias, uma satisfação pessoal.

Comendas

Suas atividades científicas, assistenciais e públicas fez com que fosse alvo de várias homenagens e comendas. Cidadãos honorários de 17 municípios alagoanos e de cidade de João Pessoa, Paraíba. Durante os últimos 20 anos  teve ocasião de fazer mais de 100 conferências em eventos locais, regionais e nacionais, 200 temas livres orais, centenas de participações em mesas redondas, colóquios e presidido vários congressos e cursos. Publicou cerca de 30 trabalhos científicos e realizou várias demonstrações cirúrgicas em Centros do Brasil.

 

 

Fotos: Jadilson Simões

Outras notícias para você