O centenário de nascimento do ex-deputado, ex-governador de Sergipe e ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE),  Manoel Cabral Machado foi comemorado na tarde desta segunda-feira (24) no plenário da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese).

Deputados, familiares e amigos participaram da homenagem

Deputados, familiares e amigos participaram da homenagem

A homenagem acontece por meio da segunda edição do Projeto Realizadores, que visa manter viva a memória de homens e mulheres que fizeram história, marcara, de forma singular o seu tempo e contribuíram significativamente para o engrandecimento do Estado de Sergipe.

E, em parceria com o Tribunal de Contas de Sergipe e com a Academia Sergipana de Letras. “Celebramos o realizador Manoel Cabral Machado, homem íntegro e dinâmico que desenvolveu trabalhos exitosos nas áreas acadêmica, cultural e política”, destacou o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado Luciano Bispo (PMDB), destacando o trabalho do homenageado como professor, deputado estadual por três legislaturas, acadêmico, escritor e conselheiro do Tribunal de Contas de Sergipe.

Governador Jackson Barreto na composição da mesa

Governador Jackson Barreto na composição da mesa

Na ocasião, foi exibido um vídeo-documentário produzido e veiculado através da TV Alese e entregue uma placa ao filho do homenageado, o professor Odilon Cabral Machado. “Almejamos com este projeto contribuir para a conservação da História de Sergipe e dos homens e mulheres que ajudaram a construí-la”, complementa o deputado Luciano Bispo.

“Meu professor na Universidade Federal de Sergipe que teve influência nesse Estado. Membro do Tribunal, político aqui nesta Casa e como intelectual é uma homenagem mais do que merecida aos homens que muito fizeram pelo Estado e engrandeceram esta terra, para que sirva de exemplo para a sociedade civil”, destaca o procurador geral do Ministério Público Estadual (MPE/SE), Paulo Lima de Santana.

Família

Odilon Cabral Machado destaca a trajetória política do pai

Odilon Cabral Machado destaca a trajetória política do pai

Em nome da família, o professor Odilon Cabral Machado, filho do homenageado, fez um discurso emocionado na tribuna da Alese. De acordo com ele, o pai morreu aos 93 anos com muita lucidez.

“Meu pai viveu longamente, teve uma participação significativa para a sociedade sergipana. Foi secretário de Estado por várias vezes, deputado estadual por três legislaturas e teve uma participação no processo de formação dos cursos superiores em Sergipe (Faculdades de Economia, de Direito, de Filosofia e de Serviço Social).  Chegou a governar o Estado e no Tribunal de Contas foi o apogeu da sua vida. Foi literato, escrevendo livros e participando do dia a dia de jornais diários, a exemplo do Jornal da Cidade, onde tinha uma coluna. Faleceu em plena lucidez e estamos comemorando os 100 anos. A família se sente muito feliz com essa lembrança do meu pai que tinha uma inteligência privilegiada”, destaca enfatizando que Manoel Cabral Machado era um homem de posições muito definidas, de fé, religioso.

Homenageado

Manoel Cabral Machado nasceu na cidade de Rosário do Catete em 30 de outubro de 1916. Filho do médico Odilon Ferreira Machado e de Maria Evangelina Cabral Machado. Foi criado no município de Capela, devido ao pai ter fixado residência por conta do exercício da profissão como clínico geral.

Em Aracaju, estudou nos colégios Salesiano e Atheneu Sergipense, quando iniciou a atuação nos movimentos político-estudantis. Estudou na Faculdade de Direito da Bahia, formando-se em 1942, tendo em seguida retornado em Estado de Sergipe, aonde ingressou na vida administrativa, atuando no Departamento do Serviço Público, hoje Secretaria de Estado da Administração, na gestão do secretário geral Francisco Leite Neto.

Em 1945, participou da fundação do Partido Social Democrático (PSD) candidatando-se a deputado estadual, mas sem obter êxito, tendo sido convidado a compor a equipe do governador José Rollemberg Leite, assumindo a Secretaria da Fazenda e em seguida, o cargo de procurador do Instituto do Açúcar e do Álcool Em Sergipe.

Foi eleito três vezes deputado estadual: em 1950, 1954 e 1958 pelo PSD. Teve participação notável na Assembleia Legislativa, tendo sido líder do Governo Arnaldo Garcez e líder da oposição do Governo Leandro Maciel. Em 1964 foi nomeado secretário de Educação. Foi consultor do Tribunal de Justiça, procurador Geral do Estado; professor de História e membro da Academia Sergipana de Letras, tendo publicado diversos livros, a exemplo de Brava Gente Sergipana e Outros Bravos.  Em 1970 foi nomeado conselheiro do Tribunal de Contas do Estado aonde foi presidente por três vezes, aposentando-se em 1986 aos 70 anos.

Participantes

Participaram da Sessão Especial, familiares e amigos do homenageado. A mesa foi composta pelo presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, Luciano Bispo, o governador Jackson Barreto (PMDB), o professor Odilon Cabral Machado, o presidente do Tribunal de Justiça, Luis Mendonça, o secretário municipal de Articulação Política, representando o prefeito João Alves Filho (DEM), Sérgio Costa Viana; o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Clóvis Barbosa, o procurador geral do MPE, em exercício, Paulo Lima de Santana, o presidente da Academia Sergipana de Letras, José Anderson Nascimento; o empresário Albano Franco e o reitor da Universidade Tiradentes, Jouberto Uchôa.

Além do presidente da Alese, Luciano Bispo, participaram da homenagem os deputados, Ana Lúcia Vieira, Maria Mendonça, Garibalde Mendonça, Zezinho Guimarães, Venâncio Fonseca e Georgeo Passos.

Na próxima sexta-feira (28), Manoel Cabral Machado será homenageado na Sexta Cultural do Tribunal de Contas do Estado.

Por Agência de Notícias Alese

Fotos: César de Oliveira