Na manhã desta quinta-feira (18), o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe (SINTRASE), Diego Araújo, juntamente com integrantes ocuparam as galerias do plenário Deputado Pedro Barreto de Andrade da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), a fim de solicitar o apoio dos deputados estaduais, no sentido de trancar as pautas do governo até que se venha a cumprir o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) da Administração Geral, que faz parte da política de gestão de pessoal do Governo do Estado e disciplina o ingresso na carreira, instituindo oportunidades e estímulos ao desenvolvimento pessoal e profissional dos servidores previsto em Lei 7.820 de 4 abril de 2014.

De acordo com o presidente, o PCCV se arrasta há quase dois anos de sua implementação, e que hoje envolve cerca de 5000 mil servidores efetivos do Estado que ganham menos de um salário mínimo por mês.

Segundo Diego, o PCCV foi parcialmente implementado em julho do ano 2014, e desde então os ganhos que os servidores teriam, estão bloqueados, afirmou o presidente explicando que o servidor teria o salário com os ganhos se o plano estivesse valendo.

Ainda de acordo com representante do Sintrase, alega que o governo terceiriza serviços como vigilância, merendeiras para as escolas, entre outros. “O governo não respeita a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), e a crise só existe para o servidor”, finalizou Diego Araújo.

FOTO JORGE HENRIQUE (9)

Sobre o movimento de greve do Sintrase:

Os servidores públicos encontram-se em paralização desde o último dia 4 deste mês, com o contingente de 30% dos servidores que vão se reversando para atender a população nos serviços básicos necessários.

 

Por Luciana Botto – Agência de Notícias Alese

Foto: Jorge Henrique