Durante coletiva de imprensa no Centro Administrativo Professor José Aloísio Campos, na manhã desta segunda-feira (9), o secretário municipal de Finanças, Jefferson Passos informou que a situação da Prefeitura de Aracaju, deixada pela administração do prefeito João Alves Filho (DEM), é a pior entre as capitais brasileiras (do ponto de vista financeiro).

“O quadro é muito grave, de um desequilíbrio severo e as medidas anunciadas de contenção de despesa anunciadas pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), visam permitir que trazer num curto prazo, previsibilidade quanto ao pagamento dos salários dos servidores e a manutenção dos serviços prestados a população”, explica.

O secretário municipal da Fazenda disse ainda que para a solução do problema quanto à divida deixada no valor de R$ 630, 8, estão adotando medidas de alongamento do débito com fornecedores por 48 meses. “Trabalharemos em cima da arrecadação revendo legislações e possíveis isenções fiscais, além do investimento em tecnologias para obtermos um melhor resultado”, diz que a meta inicial é conseguir fazer o pagamento dos salários dos servidores pelo menos até o 5º dia útil do mês subsequente.

Medidas

Entre as medidas administrativas anunciadas pelo prefeito Edvaldo Nogueira durante coletiva de imprensa, na manhã desta segunda-feira (9), estão a suspensão dos processos licitatórios iniciados antes do dia 1º de janeiro de 2017; análise dos procedimentos licitatórios e dos contratos e convênios em execução em cada órgão; realização de inventário abrangendo o material constante em almoxarifado e os bens móveis e imóveis, além da análise do processo de despesas não pagas no exercício de 2016.

Entre as medidas de contenção de gastos, estão auditoria  dos contratos de consultoria, elaboração de projetos de tecnologia da informação e desenvolvimento de sistemas; de locação de imóveis e veículos; suspensão das despesas com eventos e patrocínios; redução de 20% das despesas com telefones; consumo de água, energia elétrica e combustíveis; locação de veículos; viagens e concessão de diárias, além de mão de obra terceirizada.

Por Agência Alese de Notícias

Foto: Alese