Venho manifestar meu repúdio à violência cometida contra a presidenta Dilma Roussef expressa em adesivos colados na entrada de tanques de gasolina que simboliza uma agressão sexual que, segundo os adeptos dessa aberração machista e violenta, tem a intenção de “protestar” contra o aumento da gasolina. Utilizar a desfaçatez para praticar e compactuar com esse tipo de violência sob a justificativa estarem “protestando” é uma attitude hipócrita. Em uma democracia, a violência contra as mulheres jamais poderá ser considerada uma forma de protesto. A imagem utilizada contra a presidenta Dilma configura-se apologia ao estupro e um apelo à misoginia. O adesivo nos carros agride todas as mulheres. Em uma sociedade machista como a brasileira, a violência sexual é sempre utilizada para subjugar, dominar, desqualificar e castigar a nós mulheres. O recado transmitido pela imagem é muito explícito ao revelar que é permitido violentar e devastar o nosso corpo como uma forma de correção de nossas ações nos reduzindo a uma condição de objeto. Não podemos naturalizar e banalizar a violência contra as mulheres. Todo meu apoio e solidariedade a presidenta Dilma Roussef e a todas as mulheres que, assim como eu, se sentiram agredidas e ultrajadas por mais uma violência machista.

Não à violência contra a mulher!

Deputada Estadual Ana Lúcia Vieira Menezes (PT/SE)

Ascom parlamentar Dep. Estadual Ana Lúcia (Débora Melo)