O presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, deputado Luciano Bispo, PMDB, com gestão válida até fevereiro de 2017, teve hoje a renovação de seu mando na Presidência para os anos de 2017 e 2018 com 17 votos a favor, três contra e duas ausências – a Casa está com apenas 22 dos 24 deputados estaduais.

Entre os votos contrários, está o do deputado Luciano Pimentel, PSB. Este parlamentar tem uma justificativa plausível para sua opção. “Não tenho nada contra a pessoa do deputado Luciano Bispo, nada tenho contra a gestão dele no comando da Alese e muito menos contra o seu partido, o PMDB. Devo esclarecer que votei contra à reeleição dele para o comando da Assembleia no biênio 2017-2018 pura e simplesmente por discordar da antecipação do pleito”, diz o parlamentar.

A “antecipação do pleito” de que fala o deputado Luciano Pimentel engole quase um ano. A eleição deste 5 de abril deveria será realizada em fevereiro de 2017. “Analisando minhas convicções, não vi, e não vejo, motivos para que se faça uma eleição para assegurar um mandato que vai se aplicar a partir de fevereiro de 2017. Estou convencido de que nós deveríamos dar o exemplo” , diz Luciano Pimentel.

“E quero deixar claro que esta minha posição vale para o Legislativo Estadual de Sergipe, mas vale, também, para as Câmaras Municipais e as duas casas do Congresso Nacional. A antecipação nos expõe de uma maneira estranha perante a sociedade”, afirma Luciano Pimentel.

Votaram contra a reeleição, também, os deputados Georgeo Passos e Maria Mendonça. “Eu votei em sintonia com a posição de Luciano Pimentel”, admitiu o deputado George Passos. Estavam ausentes, por motivos de saúde, os deputados Antonio Passos e Ana Lúcia Menezes, e estão fora da Casa, por decisão judicial, os deputados Augusto Bezerra e Paulinho da Varzinhas.

Por Ascom Parlamentar Dep. Luciano Pimentel – Jozailto Lima