A deputada estadual Maria Mendonça (PP) destacou a atuação de instituições que prestam assistência aos portadores de câncer em Sergipe. “São entidades que com seus gestos devotados dão um exemplo de acolhimento e humanismo”, definiu a parlamentar durante discurso, na Assembleia Legislativa, em referência ao Dia Nacional de Combate ao Câncer Infanto-juvenil, lembrado em 23 de novembro, e também ao Dia Nacional de Combate ao Câncer, celebrado neste 27 de novembro.

De acordo com Maria, o trabalho desenvolvido pela Associação dos Voluntários a Serviço da Oncologia em Sergipe (Avosos) em seus 30 anos e pelo Grupo de Apoio a Criança com Câncer (GAAC) há 18 anos tem sido pautado pela “dedicação e grandeza dos incansáveis servidores e voluntários, das mais diversas especialidades, que demonstram compromisso com a vida”. A parlamentar chamou atenção para o fato de que, através dessas instituições, centenas de sergipanos têm conseguido enfrentar a doença com mais esperança. “Especialmente, aqueles que são esquecidos e negligenciados pelo Poder Público”, frisou.

Maria Mendonça citou ainda a campanha do GAAC para construção de sua sede própria, orçada em R$ 12 milhões, que será erguida em um terreno ao lado do futuro Hospital do Câncer. A deputada apelou para que toda sociedade sergipana some esforços no sentido de continuar incentivando iniciativas como as do GAAC e da Avosos, considerando que “o câncer é a segunda maior causa de morte no Brasil e, além do diagnóstico precoce, o tratamento humanizado faz diferença na vida daqueles que sofrem com essa triste enfermidade”.

Tratamento adequado

Em sua fala, Maria Mendonça também apresentou dados mostrando que o câncer infanto-juvenil é a doença que mais mata crianças no Brasil. Ela apontou ainda que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima mais de 595 mil novos casos em todo o país neste ano. No entanto, segundo Maria, Sergipe ainda carece de uma política pública eficiente para garantir o acesso dos pacientes ao tratamento adequado.

“Além da longa fila de espera pela radioterapia no Huse, temos uma obra do Hospital do Câncer, que já deveria estar pronto, com recursos assegurados, mas que não avança, enquanto os cidadãos padecem sem ter assegurado o direito ao tratamento digno para sua saúde”, lamentou Maria, ao apelar pela sensibilidade do governador Jackson Barreto no sentido de que empreenda os esforços necessários para viabilizar a retomada da construção da unidade especializada.

Por Assessoria Parlamentar
Foto: Divulgação Ascom