Por Kelly Monique Oliveira

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) na manhã desta quarta-feira, 27, para informar que protocolou na Casa Legislativa duas Moções, sendo uma de Repúdio a ser encaminhada ao presidente da República Jair Bolsonaro e ao ministro da Economia, Paulo Guedes, pelo corte de R$ 600 milhões no orçamento da ciência brasileira. O outro documento é de Apelo a ser enviado ao senador Rodrigo Pacheco, para dar celeridade na votação do Projeto de Lei nº 17/2021, que institui os Programas Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) e do Residência Pedagógica (PRP).

De acordo com Maria Mendonça, a ciência é importante e todos têm conhecimento dos trabalhos realizados durante a pandemia para a sociedade brasileira. “Estamos com essas duas situações graves. Os programas têm um apoio financeiro para alunos e professores com bolsas de R$ 400 pagas, através da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Atualmente, a Universidade Federal de Sergipe (UFS) oferta 456 bolsas para Pibid e 456 para PRP. Infelizmente, o Capes alega que falta recursos financeiros, portanto, existe a necessidade da recomposição orçamentaria para que nossos alunos não sejam prejudicados. Sabemos que os aspectos positivos dessa manutenção das bolsas se destacam na inserção dos alunos na licenciatura, ambiente profissional, elaboração das propostas didáticas de caráter inovador, trabalhos científicos a prática de docência, então, é a reflexão para várias ações. Além de ajudar a alunos que vivem em situação de vulnerabilidade financeira”, justificou Maria Mendonça.

Foto: Joel Luiz