Por Assessoria Parlamentar

O deputado estadual Luciano Pimentel ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 14, para criticar a política de preços da Petrobras. De acordo com o parlamentar, o discurso da empresa diverge da prática. Para ele, a estatal tem se mostrado ágil na hora de aplicar aumentos, mas não demonstra a mesma celeridade para reduzir o valor do combustível.

“Nós ouvimos a diretoria da Petrobras dizer que o combustível estava subindo porque a política implementada pela gestão era de acompanhar a questão cambial com o valor atrelado ao do barril do petróleo em dólar. Entretanto, estamos assistindo, já em um período curto, uma redução do preço do barril do petróleo e a Petrobras não tem utilizado aquilo que vem pregando, ou seja, de acompanhar o preço do barril”, destacou.

Ao apresentar dados da  Agência Nacional de Petróleo (ANP), referentes ao período de outubro de 2020 a outubro de 2021, Luciano Pimentel comparou a produção de petróleo no país, com um eletrocardiograma (exame para detectar o ritmo do coração e o número de batimentos por minuto).

“Deveríamos manter uma constância ou até uma elevação na produção de petróleo, mas observamos que não existe uma frequência capaz de demonstrar que houve um trabalho significativo da Petrobras na exploração e na prospecção de petróleo. A empresa está mantendo uma média mais ou menos contínua, mas com muita sazonalidade neste aspecto”, considerou o deputado.

Na sequência, o deputado destacou a evolução do preço do barril de petróleo de março de 2020 a dezembro de 2021. “Em março do ano passado o barril estava na casa dos 22,74 dólares e em outubro deste ano a cotação do barril subiu para 84,38 dólares. Ocorre que no último mês de novembro, o custo do barril caiu para 70,57 dólares. Mas se a Petrobras nos diz que o preço do combustível é aplicado em função do preço do barril em dólar, porque não houve uma redução no valor do combustível neste período?”, questionou Pimentel, continuando.

“Essa é uma avaliação que precisamos fazer, porque os acionistas da Petrobras, inclusive a União, estão ganhando muito dinheiro com isso. Podem analisar, quando o preço do barril aumenta, imediatamente temos o reajuste, mas quando o preço cai, o valor cobrado anteriormente se mantém, porque a Petrobras diz que pode ser sazonal. E assim a empresa continua lucrando”, pontuou o parlamentar.

Segundo Luciano Pimentel, apesar da recente queda de 20% no preço do barril de petróleo, o combustível continuou subindo em todo país. “Esse aumento no preço do combustível reflete em tudo que consumimos. E os postos não são responsáveis, eles ficam com a menor parte”, considerou.

Por fim, o parlamentar informou que irá protocolar um requerimento convidando o diretor de Desenvolvimento e Produção da Petrobras, João Henrique Rittershaussen, ou o diretor de Exploração e Produção, Fernando Borges, para prestar esclarecimentos sobre as atividades da estatal em Sergipe no que diz respeito à exploração em águas profundas.

“Vamos entregar esse convite em mãos na sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, para que quando retornarmos a nossas atividades nesta Casa, a diretoria da Petrobras possa nos dar uma noção do que realmente estaremos produzindo no estado, através do Projeto Sergipe Águas Profundas”, concluiu Luciano.

Foto: Jadilson Simões