Numa manhã festiva, numa sessão do 8 de Março, pelo Dia Internacional das Mulheres, que foi comemorado com uma sessão extraordinária, na qual foi lançada a Frente Parlamentar de Defesa da Mulher, o deputado Luciano Pimentel, PSB, lamentou um estudo da OIT – Organização Internacional do Trabalho – que aponta o dado triste, segundo o qual as mulheres no mundo recebem um salário correspondente a três quartos do que é pago aos homens pelo mesmo tipo de mão de obra.

Perante uma Mesa Diretora comandada pelas quatro mulheres da Alese – Goreti Reis na Presidência, mais Ana Lúcia Menezes, Maria Mendonça e Sílvia Fontes -, o deputado Luciano Pimentel lamentou profundamente sobretudo um dos dados pesquisa da OIT, segundo qual pela situação do mercado hoje as mulheres vão ter de esperar cerca de 70 anos para verem equiparados os seus salários aos dos homens.

“Encaro isso como uma grande injustiça contra as mulheres e a materialização de um preconceito de gênero”, disse o parlamentar. Luciano aposentou-se no ano passado depois de cerca de 35 anos dedicados à Caixa Econômica Federal, na qual chegou a ser superintendente em Sergipe por quase seis anos. Ele disse que sem sua vida funcional testemunhou “a excelente performance” das mulheres em diversas funções.

“Fui gestor e sempre compartilhei trabalho com várias mulheres e elas sempre apresentavam resultados fantásticos. Sobressaíram bem nas atividades profissionais. Eu gosto muito mais de trabalhar com as mulheres. São mais cuidadosas e mais dedicadas. Sinto o quanto elas buscam ser uteis para a humanidade”, disse o deputado.

O lançamento da Frente Parlamentar contou com uma série de convidadas, como as representantes do Conselho da Mulher de Aracaju, da Comissão de Defesa da Mulher da Ordem dos Advogados do Brasil de Sergipe, da Comissão da Mulher do Tribunal de Justiça de Sergipe e da Diretoria do Centro de Apoio Operacional dos Direitos da Mulher do Ministério Público de Sergipe, além da Chefe do Escritório de Sergipe em Brasília, ex-deputada Conceição Vieira, a quem Luciano Pimentel fez uma homenagem. “A ex-deputada Conceição Vieira é uma pessoa que irradia alegria e boa vontade política”, disse ele.

Segundo Goreti, os planos de ações da Frente Parlamentar pretendem “melhorar a informação, os fluxos entre os órgãos e de forma compartilhada, fazer as coisas acontecerem”. “Vamos começar um trabalho de difusão das leis aprovadas no Congresso Nacional, no Senado e nas Assembleias Legislativas. Uma lei que já existe, que as mulheres sabem que existe, mas pouco sabem sobre o contexto, é a Maria da Penha. Vamos traduzir o que ela representa, como ter acesso a esses serviços e como eles estão”, disse.

Luciano Pimentel fará parte desta Frente, e se disse muito à vontade para ajudar em avanços. “Eu estou muito feliz em fazer parte da Frente Parlamentar em Defesa das Mulheres e darei minha contribuição para atingirmos o mesmo patamar de igualdade e de respeito no campo pessoal e profissional. Não poderemos jamais nos contentar com a estimativa da OIT, que prevê um longo espaço de 70 anos para que mulheres e homens tenham uma mesma equivalência salarial”, disse Pimentel. “Mesmo porque, não consigo identificar outro motivo para a depreciação do trabalho feminino senão o do mero e inaceitável preconceito de gênero. Desaprovo isso”, disse.