Leis aprovadas na Alese estimulam o aleitamento materno

4/8/2022

Por Aldaci de Souza/Agência de Notícias Alese

A importância do leite materno para a saúde dos bebês até os seis meses de idade, ganhou força na Assembleia Legislativa de Sergipe, com a sanção de várias leis aprovadas na Casa Legislativa. Entre as proposituras, a Lei nº 8.072/2015, que institui a Semana Estadual de Doação de Leite Humano, de 19 a 25 do mês de maio.

De acordo com o texto, no período deverão acontecer iniciativas visando o aumento da doação de leite humano e o abastecimento contínuo dos Bancos de Leite do Estado de Sergipe; além da comemoração, conscientização e publicidade do tema: Doação de Leite Humano, através da realização de campanhas.

A Lei nº 8.022/2015, dispõe sobre o direito ao aleitamento materno em todo estabelecimento localizado no Estado de Sergipe. Todo estabelecimento localizado no Estado de Sergipe deve permitir que seja realizado aleitamento materno em seu interior, independentemente da existência de área segregada ou reservada para esta finalidade. 

A Lei n° 8.711/2020, dispõe sobre o direito das mães de amamentar o filho de até seis meses de nascido, durante a realização de concursos públicos da Administração Pública Estadual Direta e Indireta. A comprovação de idade do filho a amamentar deve ser feita mediante afirmação na inscrição para o concurso e apresentação da respectiva certidão de nascimento durante a sua realização.

Benefícios da amamentação

Pediatras alertam para a importância do aleitamento materno, reduzindo em 13% a mortalidade até os cinco anos, evitando diarreia e infecções respiratórias, diminuindo o risco de alergias, diabetes, colesterol alto e hipertensão, além de diminuir a chance de obesidade. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o leite materno deve ser o alimento exclusivo do bebê nos primeiros meses de vida pois traz muitos benefícios tanto para os bebês quanto para a s mães. Os bebês alimentados com leite materno adquirem todos os nutrientes e anticorpos essenciais até o 6º mês de vida; têm menos chance de se tornarem obesos ou com sobrepeso no futuro e têm risco menor de desenvolver diabetes tipo II. A amamentação previne alergias, anemia e infecções respiratórias, como a asma. 

O ato de amamentar traz grandes benefícios para as mães, a exemplo da redução da depressão pós-parto; ajuda no controle da natalidade com taxa de proteção de 98% nos primeiros seis meses; protege contra o câncer de mama e de ovário e reduz o risco de desenvolver diabetes tipo II após a gravidez.

Doações

As mulheres que estão amamentando e possuem leite em excesso podem fazer doações. Em Aracaju, as doações podem ser feitas ao Banco de Leite Humano Marly Sarney, localizado à rua Mato Grosso, s/n, bairro José Conrado de Araújo; telefone (79) 3226-6301, e-mail blhumano.mnsl@saude.se.gov.br; Banco da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, Avenida Presidente Tancredo Neves, bairro América, telefone (79) 3225-8650 e ao Posto de Coleta Dr. Fernando Guedes, no Hospital Santa Isabel à avenida Simeão Sobral, bairro Santo Antônio, telefone (79) 32124900.

No interior, as doações devem ser destinadas ao Banco de Leite Humano Irmã Rafaela Pepel, localizado à rua Jackson de Figueiredo, 401, Centro de Itabaiana, telefone (79) 3431-2290; e-mail diretoria@msjose.com.br e ao Banco de Leite Humano Zóed Bittencourt (Maternidade Zacarias Júnior), localizado à rua Hipólito Santos, Centro de Lagarto, telefone (79) 3631-2723, e-mail bancodeleite@maternidadelagarto.com

Em 2021, o número de doadoras chegou a 1.023, beneficiando 1.706 bebês, segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde, foram feitas 285 doações na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes; 33 no Marly Sarney  e 705 coletadas em domicílio. 

Foto: Divulgação Senado

 

 

 

 

 

 

 

Outras notícias para você