Lei aprovada pela Alese sobre vegetarianismo passa a integrar calendário de eventos do Estado

Publicada: 30/09/2022 às 14:22

Por Aldaci de Souza – Agência de Notícias Alese

Comemora-se neste sábado, 1º de outubro, o Dia Estadual do Vegetarianismo. A data foi instituída por meio da Lei nº 08721/2020, aprovada na Assembleia Legislativa de Sergipe, passando a integrar o Calendário Oficial de Eventos. 

O objetivo é estimular o respeito aos animais e os cuidados com o meio ambiente, adotando uma alimentação baseada no consumo de alimentos de origem vegetal. Com isso, as pessoas que optam por seguir esse regime alimentar não podem comer  carnes vermelhas, frango, peixes. mariscos e crustáceos.

O vegetarianismo está dividido em ovolactovegetarianismo,  lactovegetarianismo,  ovovegetarianismo,  vegetarianismo estrito e  veganismo. 

No ovolactovegetarianismo, são excluídos, a alimentação deve ser feita sem qualquer tipo de carne, peixes, frutos do mar, aves e derivados, como hambúrguer, presunto, salsicha e linguiça. Mas  são permitidos ovos e laticínios; 

O lactovegetarianismo exclui da alimentação todos os tipos de carne, peixes, aves e derivados, além de ovos. E mantém alimentos como laticínios, como iogurte, leite e queijos.

Para os adeptos do ovovegetarianismo, a única fonte de proteína animal é o ovo. Ou seja, não se consome carne, peixes, aves e derivados, assim como não se come laticínios.

Quem opta pelo vegetarianismo estrito não pode consumir nenhum tipo de alimento de origem animal, como carne, peixes, aves, ovos, leite, derivados ou mel.

E no veganismo, além de fazer uma dieta vegetariana estrita, as pessoas não usam roupas de origem animal, como couro, seda ou lã, nem produtos cosméticos feitos com ingredientes de origem animal.

Foto: Divulgação Portal Veganismo

 

 

 

Outras notícias para você