O deputado Jairo de Glória (PRB) destacou na tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), na manhã desta quinta-feira (24), a interdição das fabriquetas de queijo após Fiscalização Preventiva Integrada da Tríplice Divisa (FPI), alegando falta de higiene e situação precária. Mais de 2 mil toneladas de queijo foram descartadas no Aterro Sanitário da Estre Ambiental. Com a medida, os fabricantes de queijo do Povoado Vaca Serrada, município de Monte Alegre, bloquearam a rodovia Rota do Sertão, em protesto ao fechamento.

“Foram casos isolados com o fechamento de três fabriquetas que gerou um descontentamento, um desconforto entre os produtores da região, que fecharam a rodovia. Eu estive presente na manifestação por causa da operação realizada pelo Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual, entre outros órgãos. Ouvi o clamor dos queijeiros e vamos nos reunir com a procuradora para tratar da regulamentação dessas fabriquetas”, ressalta.

Jairo de Glória disse ainda que não se deve generalizar. “Estamos defesa da regulamentação e não podemos generalizar. Os produtos como o nosso queijo coalho, o nosso requeijão e a nossa manteiga são bem vendidos no Estado e precisam ao meu ver de uma regulamentação específica e já existe nesta Casa um projeto da minha autoria para que possa dar um tratamento diferenciado a esses produtores. É preciso que o Governo do Estado e Banco do Nordeste possam abrir linhas de crédito para que eles possam se adequar e voltar à normalidade”, enfatiza.

A Fiscalização Preventiva Integrada do São Francisco da Tríplice Divisa vem sendo feita por mais de 400 profissionais dos Estados de Sergipe, Bahia e Alagoas.

Por Agência de Notícias Alese

Foto: Jadilson Simões