Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

O deputado estadual Iran Barbosa (PT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã dessa quarta-feira (14), para apelar ao governador Belivaldo Chagas (PSD) no sentido que ele possa contemplar os pleitos dos 34 servidores da Fundação Renascer que estão em processo de mudança de regime de suas carreiras. Segundo o petista, os trabalhadores estão com um procedimento em tramitação e devem passar do regime celetista para o estatutário.

“A gente apela pelo apoio do governo neste processo de transposição dos regimes. Segundo os representantes da categoria, que é pequena, diga-se de passagem, com apenas 34 profissionais de nível superior. O diálogo está fluindo bem com o presidente Wellington Mangueira e com a própria Secretaria de Estado da Administração. Mas, em um dado momento, a decisão que envolve a garantia de um padrão de dignidade para estes profissionais vai passar pelo governador”, explicou o deputado.

Servidores da Fundação Renascer na Alese

Iran Barbosa pediu que Belivaldo Chagas dê toda a orientação necessária aos servidores e a todos os envolvidos no processo de negociação. Ele acredita em um processo exitoso e acredita que o governador não se furtará de dar o aval naquilo que lhe couber. “Isso não trará grande impacto na economia do Estado, dará dignidade aos profissionais e será muito benéfico para a prestação dos serviços que a Fundação oferece. Estes trabalhadores precisam ser estimulados sempre”, defendeu.

Segundo o petista, quando os servidores ingressaram no sistema sócio-educativo, numa comparação com os profissionais de nível médio, a diferença salarial para os demais era de 64%. “Atualmente a diferença caiu para pouco mais de 7%, o achatamento é grande e sem essas tratativas que estamos apelando, a realidade vai cair para 5,5%. Isso para quem tem uma realidade laboral como a deles, que precisam ser estimulados. Vi os estudos que eles fizeram, as análises e meu juízo é que tudo é exequível”.

Iran Barbosa concluiu fazendo um comparativo salarial com os servidores do mesmo nível em outros Estados. Segundo ele a realidade de Sergipe deixa muito a desejar e pediu que o governador tenha uma atenção especial aos 34 profissionais da Fundação. “Aqui em Sergipe o salário é de R$ 1.673,38; no Mato Grosso do Sul é de R$ 4.879,00; no Espírito Santo é de R$ 4.443,00; no Maranhão é de R$ 3.980,00; em Pernambuco é de R$ 3.718,00; no Rio Grande do Norte é de R$ 3.189,00; e no Ceará é de R$ 2.581,000. Dos Estados analisados temos o menor vencimento”.

“Acho importante valorizar essa profissão porque ela tem uma função social extremamente fundamental. O impacto financeiro não é grande, a categoria é reduzida e eles precisam de melhorias. Tudo está sendo dialogado, as conversas estão avançando e a gente espera que este projeto venha para a Alese já negociado entre governo e os trabalhadores. Isso vai facilitar, e muito, até o nosso trabalho aqui no Parlamento”, completou Iran.

Maria Mendonça

Em aparte, a também deputada Maria Mendonça (PSDB) ficou solidária com a causa dos servidores da Fundação Renascer e reconheceu que se trata de uma pauta muito importante. “Quando a gente vê a distorção salarial com outros Estados, isso nos envergonha. Um profissional de nível superior recebendo menos que dois salários mínimos? Vamos manter o nosso olhar voltado para a realidade nacional e a gente torce para que o governador possa contemplar esses 34 servidores”.

Fotos: Paulo Renan