Por Habacuque Villacorte

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na manhã dessa quarta-feira (13), para defender que o Congresso Nacional derrube o veto presidencial ao projeto de lei que prevê a distribuição gratuita de absorventes higiênicos para estudantes dos ensinos fundamental e médio, mulheres em situação de vulnerabilidade e para as que estão encarceradas.

Caso o veto seja mantido, Gualberto anunciou que vai apresentar uma indicação no sentido que o governo do Estado, através da Secretaria de Educação, possa fazer algo em Sergipe. “Infelizmente estamos enfrentando uma falta de políticas sociais, com a fome, a miséria e o abandono social. A meu ver este é um dos graves problemas que temos na sociedade brasileira”.

Gualberto citou que muitas mulheres não reúnem condições financeiras, que não possuem qualquer remuneração. “A mulher não tem comida para cozinhar e, quando tem, não tem o botijão de gás. Imagine ter recursos para comprar absorvente. E durante a menstruação, com tantos improvisos, há o risco de contaminações, infecções e até de algo mais grave”.

“O governo federal vetou essa proposta alegando a universalização do atendimento, mas a intenção do Congresso Nacional não era atender os ricos, mas aqueles que estão sem situação de vulnerabilidade social. Em breve o Congresso deve votar esse veto e a gente espera que ele seja derrubado. Mas se não acontecer, eu não costumo apresentar indicações, mas farei algo neste sentido aqui na Alese”, anunciou o petista.

Gualberto disse que se sente na obrigação de fazer algo e que vai sugerir que o governo do Estado, que a Secretaria de Educação, possam garantir uma cobertura e garantir um pouco mais de bem-estar para as mulheres. “É garantir o mínimo de dignidade neste período em que a mulher tem tudo alterado em seu organismo. Desde já peço o apoio dos meus companheiros aqui para encontrarmos um paliativo”.

Foto: Joel Luiz