Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

A deputada estadual Goretti Reis (PSD) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na tarde dessa segunda-feira (13), para chamar atenção para o Movimento “Maio Amarelo” em Sergipe e promover a campanha de defesa pela vida. Ela enfatizou sobre o custo sócio-econômico dos acidentes de trânsito e defendeu que se promovam campanhas educativas diversas.

Ao fazer uso da palavra, Goretti disse que pesquisas recentes permitem avaliar em R$ 40 bilhões o custo dos acidentes de transito do País. Segundo ela, dados do Ministério da Saúde, de 2015, são 37.306 óbitos e 204 mil feridos hospitalizados. Já segundo os dados do seguro DPVAT, de 2017, foram 41.150 indenizações por morte e 284.190 por invalidez.

Goretti disse que o montante de recursos gastos poderia ser revertido na promoção da vida e pontuou que os hospitais de urgência e emergência atendem com frequência um número grande de pacientes vítimas de acidentes de trânsito. A deputada ainda apresentou que Sergipe possui 766.105 veículos, sendo que em 2010 eram 427 mil, e que segundo o Samu, apenas em 2017, foram 224.683 chamadas, sendo que lideram os registros de acidentes com motos e carros.

“O Brasil se destaca entre os cinco países com maior número de mortes por ATT, sendo superado apenas pela Índia, China, EUA e Rússia”, disse Goretti, defendendo ações permanentes de educação, treinamento, controle dos veículos, melhoramento das infraestruturas, além de ações específicas dirigidas contra determinados fatores de risco, como excesso de velocidade, consumo de álcool e a urbanização das margens das rodovias.

Violência contra a Mulher

Goretti também destacou dois eventos que participou em Brasília (DF) e no Rio Grande do Sul, semana passada, onde pode ouvir diversas experiências de propostas para o combate à violência contra a mulher, no sentido de se promover políticas públicas para reduzir os números de feminicídios. “No Sul também abordamos a questão da cobertura midiática para estes temas. Ouvimos vários profissionais e descobrimos como o assunto vem sendo abordado em outros países do Mundo”.

Foto: Asscom Goretti Reis