O presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), Garibalde Mendonça (PMDB) recebeu na manhã desta segunda-feira (29), a conciliadora da Justiça Federal, Mafra Merys. O encontro no gabinete da Presidência da Casa Legislativa teve por finalidade discutir a importância da divulgação da Lei do Aprendiz, que determina a contratação por parte das empresas de grande e médio porte, de 5% a 15% de jovens. Sergipe está abaixo do índice de contratações, apesar das mais de 4 mil vagas disponibilizadas. Na ocasião, o deputado Garibalde Mendonça se comprometeu a criar a Frente Parlamentar de Protagonismo Juvenil.

“Firmamos o compromisso de formar essa Frente Parlamentar em Defesa do Jovem Aprendiz. São vários empregos que vêm para Sergipe e queremos colocar o jovem no mercado de trabalho, dando dignidade. Vai ser um ganho muito grande e nós vamos sair na frente já que os estados nordestinos estão todos contatados, então daremos essa demonstração que Sergipe é pequeno, mas vai sair na frente”, afirma Garibalde Mendonça acrescentando ser uma obrigação da Assembleia Legislativa dar dignidade aos jovens.

De acordo com Mafra Merys, o encontro com o presidente da Alese surpreendeu. “Surpreendeu. Em todos os Estados que a gente tem passado a exemplo da Bahia, Rio Grande do Norte, Paraíba e Alagoas, fomos recebidos por presidentes de comissões e aqui pelo presidente da casa. Sem dúvida, um impulso grande que entusiasma a todos nós e ao mesmo tempo termina nos incentivando a outros passos nos demais Estados que vamos visitar”, comemora.

Reunião aconteceu no Gabinete da Presidência da Alese. Foto: Jadilson Simões

Mafra Merys lamentou a situação da baixa contratação em todo o país, sendo um déficit de 16,25% na região Nordeste. “Sergipe precisa contratar 4 mil 555 jovens, mas de maio até agora a gente só com seguiu contratar 88 jovens. A ideia de se juntar as Assembleias é de ajudar a divulgar às escolas técnicas que precisam se cadastrar no site Juventude Web do Ministério do Trabalho para ofertar essas vagas”, explica.

Frente Parlamentar

A consultora disse ainda que a Frente Parlamentar de Protagonismo Juvenil vai dar sustentação dos fóruns de aprendizagem regional. “A Frente Parlamentar pode inclusive com a força política que ela tem, fazer cm que o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) possa pagar para as pequenas empresas, esses cursos que a gente está contratando do Jovem Aprendiz”, ressalta lembrando que os jovens que estão entre 14 e 24 anos podem ser contratados, independente da situação financeira da família.

“É óbvio que a lei prioriza o jovem em vulnerabilidade. Se o jovem já tiver concluído o ensino médio, pode ser Aprendiz, se tiver na faculdade também, o importante é que esteja estudando e será contratado com carteira assinada por dois anos”, completa.

 

Por Aldaci de Souza