Execução e custos de obras nas rodovias estaduais são debatidas na Alese

Publicada: 14/07/2022 às 12:39

14/7/2022

Por Shis Vitória/Agência de Notícias Alese

A execução e custos da uma obra desenvolvida na rodovia entre Pacatuba e Pirambu foram o tema do pronunciamento do deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) durante o pequeno expediente desta quinta-feira, 14 de julho.

“Nessa última sessão do semestre faço mais uma vez uma reflexão principalmente, depois de ouvir a resposta do líder do Governo nesta Casa sobre a obra Pacatuba/Pirambu e por isso, venho citar o assunto novamente. Uma obra iniciada entre 2014 e 2015, lógico que iria aumentar de preço nesse ano de 2022, mas a crítica que fiz naquele momento foi a respeito da obra licitada em 2014 e a pavimentação asfáltica daquela rodovia que estaria sendo implantada, inclusive, o trecho que estava dentro da Reserva Santa Isabel. Contrato esse que depois de aditivos ficou em R$ 48 milhões e esse mesmo contrato foi pago. Como eu posso enquanto gestor pagar o valor de um contrato se 15 km da rodovia não foram feitos? Se a gente não consegue executar uma obra toda não justifica também pagar o valor total pelo que foi licitado para aquela obra, ou seja, o valor originário com os aditivos”, argumentou.

No mesmo pronunciamento, o parlamentar comentou da baixa qualidade do asfalto e o serviço. “O asfalto utilizado pela administração estadual em diversas rodovias é do tipo que basta chover no inverno ele se dissolve. E me questiono mais uma vez se vale a pena realizar esse tipo de serviço de tapa buracos” disse.

O deputado estadual Adailton Martins (PSD) fez uma avaliação baseada no tema sobre a questão abordada pelo colega parlamentar. “Gostaria de dizer que o asfalto aplicado no Estado de Sergipe vem de fora do país (Canadá e Itália), sendo o mesmo utilizado no mundo todo. No entanto, devido a preocupação com a ocorrência de acidentes estão realizando uma operação tapa buracos durante o inverno e o asfalto aplicado neste período tem problemas na execução, porque ele perde a qualidade e sabemos que não se deve realizar esse tipo de trabalho no inverno. Porém, devido essa preocupação com acidentes a administração estadual, através do DER e Sedurbs, vem efetuando o serviço de tapa buracos para não deixá-los abertos. O asfalto aplicado no inverno não terá a mesma durabilidade e eficiência do asfalto aplicado no verão, quando o material fica seco. Já sobre as obras nas rodovias, elas continuam sendo muito bem executadas e a demora de conclusão foi por conta do atraso da liberação do empréstimo com o objetivo de recuperar essas rodovias”, explicou.

As declarações ocorreram durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa de Sergipe, do dia 14 de julho.

Foto: Jadilson Simões

Outras notícias para você