Dia Mundial do Cérebro é celebrado nesta sexta-feira (22)

Publicada: 22/07/2022 às 10:31

22/7/2022

Por Ethiene Fonseca/Agência de Notícias Alese

O que o Mal de Parkinson, um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e uma enxaqueca têm em comum? As três doenças estão diretamente relacionadas à saúde neurológica, ou seja, com o funcionamento do cérebro. Para alertar a população sobre a importância dos cuidados com essa região do corpo humano, é celebrado nesta sexta-feira (22), em vários países, o Dia Mundial do Cérebro.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem mais de 600 doenças neurológicas, patologias que costumam ter impactos na capacidade motora e cognitiva do paciente. Sobre a capacidade motora, essas doenças muitas vezes dificultam a realização de movimentos, afetando a habilidade de comer, falar, entre outras. Sobre a capacidade cognitiva, as doenças neurológicas podem afetar a memória e interferir no aprendizado.

Especialistas alertam para os cuidados com a saúde cerebral. Foto: Uol

Além das doenças já citadas, como o AVC e o Mal de Parkinson, existem várias outras patologias que afetam o funcionamento do cérebro, como a Doença de Alzheimer, a esclerose múltipla, a epilepsia, entre outras. Geralmente, essas doenças são diagnosticadas por meio de exames de imagem, a exemplo da tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassonografia por Doppler duplex, etc.

Todos os anos, a Federação Mundial de Neurologia estabelece temáticas relacionadas à saúde neurológica para conscientizar a população. Em 2022, o Dia Mundial do Cérebro terá como tema ‘Saúde Cerebral para todos’, uma campanha que estará focada em cinco mensagens principais que devem ser trabalhadas a nível global: conscientização, prevenção, defesa da causa, educação e acesso à saúde.

“O cérebro consiste em muitos bilhões de ligações elétricas conhecidas como neurônios. A tamanho é o equivalente a viajar ao redor da Terra quatro vezes seguidas. Pensa-se que há cerca de 100 bilhões de neurônios dentro do cérebro humano. Existem 10 trilhões de conexões entre esses neurônios que nos ajudam a ler, escrever, assistir, aprender, planejar, pensar, sentir, movimentar e resolver problemas do dia a dia”, explicam os professores David Dodick e Tissa Wijeratne, da Federação Mundial de Neurologia*.

Cuidados

De acordo com o neurologista Hesmoney Ramos de Santa Rosa, existem alguns cuidados básicos que as pessoas podem tomar para prevenir as doenças que afetam o cérebro. Um deles seria evitar ou parar de fumar, tendo em vista que o ato prejudica a oxigenação do cérebro, levando também à aterosclerose das artérias cerebrais. O especialista também aconselha que as pessoas busquem dormir bem e diminuam o consumo de álcool.

Hesmoney Ramos de Santa Rosa, neurologista. Foto: Jadilson Simões

“Entre seis a oito horas diárias de sono são necessárias para que o nosso cérebro tenha o descanso necessário. A privação do sono acelera a morte das células cerebrais, além de nos manter cansados e de mau humor durante o dia. Sobre o álcool, além de prejudicar todos os órgãos do corpo, em especial o sistema nervoso, o fígado e o coração, a substância interfere nas reações químicas que ocorrem no cérebro. Leva à morte de neurônios e reduz a velocidade de transmissão dos impulsos nervosos entre eles”, explica o médico.

O bom funcionamento do cérebro passa pelos hábitos alimentares. Por isso, o neurologista orienta a redução do consumo de alimentos processados e do açúcar. Ele também falou sobre a importância de se alimentar pela manhã, pois o cérebro necessita de energia para o seu bom funcionamento.

“Quando não nos alimentamos, o cérebro precisa funcionar apenas com as energias do corpo e isso pode ocasionar perda de concentração, de memória, mau humor, baixo rendimento físico e intelectual. Portanto, não deixe de tomar café da manhã antes de sair de casa”, explica o especialista.

Como o corpo humano necessita do oxigênio para a produção de energia, é preciso ter cuidados nesse sentido, como evitar a poluição ou ambientes poluídos. Além disso, doutor Hesmoney orienta que os pacientes não durmam com a cabeça coberta. “Dormir com a cabeça coberta aumenta a concentração de gás carbônico durante a respiração. Isso reduz a quantidade de oxigênio, o que pode causar danos ao cérebro”, alerta.

As emoções e os pensamentos que alimentamos também têm impacto na saúde do cérebro. Por isso, o médico orienta cuidados com a irritação e o estresse. Além disso, ele recomenda que as pessoas exercitem a mente por meio de atividades simples, como ler um livro. “A irritação e o estresse são perigosos já que desencadeiam diversas reações danosos no nosso sistema nervoso. Exercite a mente. Calcular, raciocinar, fazer palavras-cruzadas, ler um livro ou mesmo conversar sobre temas complexos são atividades que estimulam o cérebro”, recomenda doutor Hesmoney.

Sergipe

Alimentação saudável impacta na saúde do cérebro. Foto: Treinus

Em Sergipe, a Assembleia Legislativa vem trabalhando para promover a saúde do cérebro junto à população. Em 2013, por exemplo, foi publicada a Lei 7.594, que institui o Programa de Assistência às Vítimas de Acidente Vascular Cerebral. O programa tem como finalidade promover a informação, o tratamento e a reintegração de pacientes que tenham sido vítimas de AVC.

A Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) também aprovou em 2020 a campanha Julho Verde. A iniciativa está prevista na Lei 8.770, que institui em todo o Estado ações de prevenção e combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço. A Lei tem como objetivo promover ações durante todo o mês de julho com o intuito de disseminar informações sobre os danos, formas de prevenção, fatores de risco, causas de desenvolvimento e outras informações relevantes. Confira matéria completa: clique aqui.

*Tradução feita pelo autor

Foto: Saúde Debate

Outras notícias para você