Por Stephanie Macêdo – Rede Alese

Na Sessão  Extraordinária Remota realizada pela Casa Legislativa de Sergipe na manhã desta quinta-feira, 25, os deputados votaram em Projetos de Lei Ordinária de autoria do Poder Legislativo e do Poder Executivo.

Após defenderam suas posições diante das proposituras em pauta, os parlamentares dialogaram sobre assuntos diversos, entre eles, destaque para o número de mortos em Sergipe, e o descumprimento do distanciamento social por parte da população.

O deputado Garibalde Mendonça(MDB) comentou sobre nota que a CNN divulgou na manhã de hoje, de que o Brasil se tornou o país do mundo com mais recuperados após infecções pelo novo coronavírus, segundo o painel atualizado em tempo real pela universidade americana Johns Hopkins.

Garibalde ressalta que apesar dos dados anunciados, o número de mortandade em Sergipe, causada pela Covid-19, é crescente, e lamentou a perda dos entes das famílias sergipanas.  O deputado Francisco Gualberto (PT) também lamentou as mortes no estado  e no Brasil, e se indignou com parte da população que descumpre decretos, do município e do estado, sobre a obrigatoriedade de uso de máscaras e do isolamento social.

Francisco Gualberto declarou que, ao tempo em que os leitos nas unidades de saúde são ampliados, o volume de pessoas nas ruas sem qualquer tipo de prevenção ao vírus é percebido.  Ele defende que o número da economia do país está associado ao número de contaminados entre os brasileiros.

 “ Vejam, a  Europa abriu,  flexibilizou, e já  está retornando ao isolamento. Há temores sobre uma segunda onda de infecções. O Brasil, com um clima desse, tropical, dificilmente terá um controle dessa situação de contágio pelo coronavírus. Aqui em Sergipe mesmo, observei em um trecho curto entre bairro, mais de 20 pessoas transitavam a pé sem o uso de máscaras. Uma situação lamentável. Os gestores públicos estão cumprindo o seu dever e papel diante dessa crise causada pela pandemia, mas há pessoas que  não cuidam de si e nem dos outros”, questionou.

Os deputados Kitty Lima (Cidadania) e Gilmar Carvalho também lamentaram da ausência de uso de máscaras e isolamento social por parte da sociedade.  Na ocasião, lamentaram as mortes de pai e filha, 91 e 66 anos, que esperaram por leitos em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) dentro de ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em Aracaju, na semana passada.  Ambos foram diagnosticados com Covid-19.

Educação

O deputado Iran Barbosa (PT) e deputada Maria Mendonça (PSDB), ambos professores, comentaram a nota conjunta, expedida pelo Sindicato dos Professores de Sergipe (Sintese), pelo Sindicato dos Professores Municipais (Sindipema) e União Sergipana dos Estudantes Secundários de Sergipe (USES), com o posicionamento das três entidades sobre a adoção de aulas remotas pelas escolas públicas sergipanas.

Iran defende que a adoção de aulas remotas deve considerar as normativas infraconstitucionais definidas pelos Conselhos Nacional, Estadual e Municipais de Educação, bem como da Nota Técnica do Ministério Público Estadual (2020).

“Muitos alunos não tem acesso às aulas, não tem equipamentos e nem internet. Então, os sindicatos cobram dos gestores públicos que apresentem diagnósticos sobre o acesso dos estudantes a estas aulas e também quais as condições materiais e de formação que os docentes estão recebendo para prepará-las”, pontuou. Concordando com Iran, a deputada Maria Mendonça apoia as entidades, pois compreende que vem sendo feito há desigualdades educacionais.  “Os alunos não devem ser penalizados por ausência de ferramentas necessárias para acompanhar o conteúdo, o que não é justo”, defendeu.

Leitos

Os leitos nos hospitais regionais continuam a ser defendidos por parlamentares.  A deputada Janier Mota (PL) pediu urgência na instalação de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo  no Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória.

“O hospital abrange todo a região, precisamos de leitos para a UTI. E  outra situação, é que só há médico na Ala de Covid entre quinta-feira e domingo. E os outros dias? A população nos procura enquanto parlamentares e temos a obrigação de cobrar e pedir aos nossos governantes as providências cabíveis”, declarou.