Por Habacuque Villacorte – Rede Alese

A participação do Estado de Sergipe no Consórcio do Nordeste foi tema de debate na sessão remota dessa quinta-feira (4), na Assembleia Legislativa. Há um projeto de lei de autoria dos deputados estaduais Georgeo Passos (Cidadania) e Zezinho Guimarães (MDB) revogando a lei nº 8.536/2019, que ratifica o protocolo de intenções firmado entre os Estados da Região Nordeste para a constituição de Consórcio. Em síntese, os parlamentares propõem a saída de Sergipe do Consórcio Nordeste.

O deputado Iran Barbosa (PT) puxou a discussão colocando que a organização de Estados Federados em blocos sempre existiu para defender os interesses comuns. “Isso não é algo novo no Brasil. Isso, historicamente, sempre foi muito exercitado e com muita força pelos Estados do eixo Sul-Sudeste que sempre se organizaram para defenderem seus interesses políticos e econômicos. O Norte e o Nordeste sempre ficaram a mercê da política definida pelo governo federal. Isso é uma tendência mundial de organização de consórcios”.

Por sua vez, o deputado Georgeo Passos reconheceu o momento em que os sergipanos estão atravessando por conta da pandemia. “O nosso governador teve agora que correr atrás do prejuízo. Se não fosse o governo federal e algumas pessoas do setor produtivo, hoje teríamos menos leitos, e esse Consórcio, além do prejuízo financeiro, mais vidas poderiam ter sido ceifadas. É um projeto que eu agradeço a sensibilidade do deputado Zezinho Guimarães para a gente desembarcar dessa barca furada que o Consórcio do Nordeste”.

Também contrário à permanência do Estado no Consórcio, o deputado Zezinho Guimarães disse que esperava que fosse firmada uma grande parceira com outros Estados Federados. “Pensamos em construir um modelo de gestão voltado para projetos de grandes sucessos como no Ceará. Se soubesse que esse Consórcio ficaria no viés em uma questão política e ideológica, eu não teria votado. Sergipe é um Estado pobre, que precisa da ajuda de todos, mas essencialmente do governo federal e não pode se confrontar jamais”.

Por sua vez, o líder do governo na Alese, deputado Zezinho Sobral (PODE) defendeu a continuidade de Sergipe no Consórcio do Nordeste. “Temos a União Europeia que juntou um grupo de países para definirem questões. Isso acontece no mundo inteiro e já tiveram êxitos. O Nordeste com seus Estados, com pluralidade de partidos e tendências. São 50 milhões de brasileiros, com potencial de desenvolvimento em diversas áreas, temos uma termoelétrica para fornecer energia para todo o Nordeste. Radicalismo é ficar fora! Isolar Sergipe do Nordeste é isolar Sergipe do Brasil”.