Por Assessoria do Parlamentar

O deputado estadual Iran Barbosa (PT) esteve, na manhã desta segunda-feira, 18, no Colégio Atheneu Sergipense. Acompanharam o parlamentar, durante a visita, os assessores que integram o Núcleo de Comunicação do mandato, bem como assessores integrantes do Núcleo de Educação.

Na oportunidade, os presentes puderam conhecer um pouco mais sobre os projetos desenvolvidos na escola e foram recepcionados pelo diretor do Atheneu, Daniel Lemos, pelo professor de sociologia e coordenador do Laboratório de Educação e Aprendizagem Digital (LEAD), Yuri Noberto, e pelos estudantes Lenice Ramos, Alex Melo, João Victor e Daniel Fernando.

“Essa foi uma visita articulada a partir de uma reunião que fizemos com o professor Yuri Noberto e com estudantes dessa respeitada escola estadual, quando identificamos a necessidade de conhecer de perto os projetos que vêm sendo executados com a ampla participação bem-sucedida dos alunos e alunas”, pontuou Iran Barbosa.

Para o professor de sociologia e coordenador do LEAD, Yuri Noberto, “a presença de Iran na escola para conhecer os projetos tem fundamental importância como forma de prestação de contas à sociedade, uma vez que ele é um representante popular. Além disso cumpre objetivo de aproximar a escola do parlamento”, disse.

Sobre os projetos apresentados, o coordenador do LEAD explicou que os alunos possuem aulas de programação, marketing e produção de conteúdo, durante quatro meses, por meio da plataforma Alura e que no final os estudantes têm uma mentoria para a produção de um projeto de intervenção na área que estudaram.

“Por exemplo, temos alunos desenvolvendo um programa para a biblioteca da escola. Outro grupo, uma startup social (Zebos), que por meio de doação busca democratizar acesso à leitura. Há, ainda, outro grupo envolvido com produção de documentário sobre os 150 anos da escola”, citou.

“Ancorado no LEAD, temos ainda um projeto de combate à pobreza menstrual, fruto de projeto de lei de autoria da aluna Lenice Ramos junta com a Laiza Martins. Elas elaboraram um projeto piloto com dez escolas, onde será desenvolvido esse programa piloto, a partir de uma doação de mais de 190.000 unidades de absorventes”, acrescentou o professor.