A violência que aflige a população do município de Lagarto, distante 77km de Aracaju, e toda a Região Centro Sul do Estado, levou a deputada estadual Goretti Reis (DEM), a se reunir, na manhã dessa quinta-feira (25), com o secretário da Secretaria da Segurança Pública de Sergipe, o delegado João Batista dos Santos Júnior para reivindicar maior atenção para a região que é uma das mais violentas do Estado.

A deputa demonstrou preocupação com o elevado índice de mortes violentas que ocorrem no município e atribui a ação dos marginais a redução no efetivo policial. “Nos fins de semana a delegacia de Lagarto fica fechada. A população não tem a quem recorrer. Policiais de outros municípios é que têm dado apoio quando há alguma ocorrência”, reclamou.

Goretti ouviu do Secretário a garantia de atender as reivindicações, entre elas, a de encaminhar mais um delegado, imediatamente, para reforçar a equipe policial. “Segundo ele, o crescimento da violência em Lagarto já é de conhecimento da SSP, e as providencias estão sendo tomadas”, contou.

Outro ponto positivo apresentado à parlamentar por João Batista é a excelente parceria que a SSP tem com o Judiciário de Lagarto que atende todas a solicitações da cúpula da Segurança. “Lagarto, segundo João Batista, não é um município esquecido, prova disso é que com a convocação no mês de março, de mais 300 aprovados no concurso da Polícia Militar e mais 120 Policiais Civis, haverá reforço para todo o interior de Sergipe”, acrescentou Goretti.

Ao fim do encontro, a deputada foi enfática ao afirmar que um primeiro passo foi dado para tirar Lagarto como referência de cidade violenta e que o Estado deve estar mais atento, implantando políticas públicas mais ostensivas para reprimir a ação dos marginais.

DAGV

Como defensora das causas e dos direitos da mulher Goretti Reis fez um outro pedido ao secretário João Batista, a autorização para visitar as Delegacias de Apoio aos Grupos Vulneráveis (DAGV) e obteve a permissão de ver de perto qual a estrutura que está sendo usada no apoio a mulher vítima de violência. “Vamos percorrer todas as secretarias e locais que dão suporte ao atendimento para juntos traçarmos metas em defesa de nós mulheres”, concluiu.

Por Ascom Parlamentar Dep. Goretti Reis – Cristina Rochadell