Por Wênia Bandeira

Em 2015, um vídeo teve grande repercussão nas redes sociais com imagens que mostravam biólogos retirando um canudo do nariz de uma tartaruga-marinha. A cena alertou o mundo para a importância do debate sobre o uso exagerado de plásticos, principalmente canudos. Por ano, uma média de oito milhões de toneladas de plástico é retirada dos oceanos. Este é o tema do segundo boletim da série ‘Bora Conversar’.

Em Sergipe, a Assembleia Legislativa aprovou a lei estadual Nº. 8.689/2020 de autoria da deputada estadual Kitty Lima que proíbe a entrega de canudos plásticos aos clientes em bares, lanchonetes e restaurantes, hotéis, padarias, clubes noturnos, salões de dança e eventos musicais de qualquer espécie, entre outros estabelecimentos comerciais.

A lei determina multa de 20 a 400 vezes o valor da UFP/SE (Unidade Fiscal Padrão do Estado de Sergipe) a ser aplicada em dobro nos casos de reincidência. O valor que for arrecadado com estas multas deverá ser usado para políticas públicas em defesa do meio ambiente.

Os canudos de plástico devem ser trocados por canudos de papel ou mesmo pelos feitos de produtos alimentícios. O plástico demora cerca de 500 anos para desaparecer do meio ambiente depois de ser jogado no lixo e esta sujeira polui a nossa água e pode ser engolido por animais, causando até mesmo a morte.

O boletim ‘Bora Conversar’ é publicado nas redes sociais oficiais da Assembleia Legislativa de Sergipe e na TV Alese, canal 5.2.

Foto: Pexels