Ao lado de centenas de mulheres trabalhadoras e militantes sociais, a deputada estadual Ana Lúcia marchou pelas ruas da capital neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, durante o Ato Unificado de Mulheres de Sergipe.

Com cartazes e faixas nas mãos e com palavras de ordem na boca, as militantes reivindicam ações de combate à violência contra a mulher; democratização da terra, água e sementes; democracia, mais poder e participação para as mulheres; contra a crise econômica, o ajuste fiscal e a reforma da previdência; pelo desenvolvimento econômico sustentável; pela ratificação das convenções 156 e 189 da OIT; em defesa da Democracia; e por uma educação não discriminatória que respeite as diversidades.

O ato foi uma construção coletiva de diversos movimentos, coletivos e centrais sindicais que se uniram em torno da pauta das mulheres. Estiveram presentes sindicalistas da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), além de militantes de diversos coletivos e movimentos sociais, a exemplo do Levante Popular da Juventude, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, Marcha Mundial de Mulheres, Coletivo de Mulheres de Sergipe, Coletivo ContraCorrente, entre outros.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O ato teve início com a concentração na praça Fausto Cardoso e fez duas paradas de protesto: uma em frente a Assembleia Legislativa de Sergipe e outra em frente a Câmara de Vereadores de Aracaju. A manifestação seguiu então pelas ruas do centro da capital e culminou na praça General Valadão.

O Dia Internacional da Mulher foi estabelecido pelas mulheres guerreiras, trabalhadoras e socialistas do início do século XX. Por isso, nossa luta não se resume ao 8 de março, mas permanece viva todos os dias, no enfrentamento ao machismo e na construção cotidiana de uma sociedade em que homens e mulheres tenham as mesmas oportunidades e direitos, uma sociedade em que todas as mulheres, em sua diversidade, tenham as mesmas oportunidades”, destacou a deputada Ana Lúcia.

A deputada destacou ainda o cenário de crescimento do conservadorismo no país, e pediu unidade e coragem aos movimentos de mulheres. “Estamos vivendo um momento muito difícil, que exige a unidade das mulheres que acreditam na construção de uma outra sociedade, um momento em que estamos disputando essa democracia, ainda frágil, e que precisa ser consolidada. Precisamos de muita coragem para enfrentar esta direita fascista, para que estas forças conservadoras não avançem no nosso país”, avaliou, ressaltando o papel das governos petistas na transformação social do nosso país e as tentativas de golpe contra a democracia que tem sido investidas pela direitos conservadora.

Carta aos deputados

Conduzida pela deputada Ana Lúcia, uma comissão de militantes entregou ao presidente Assembleia Legislativa, o deputado Luciano Bispo, uma Carta Aberta contendo as principais reivindicações das mulheres. A carta pede os parlamentares a prioridade de tramitação e a aprovação de, pelo menos, dois Projetos de Lei que beneficiam diretamente esta parcela da população.

O primeiro deles está ligado à mulher que vive no campo, pois referenda o conceito de sementes crioulas e dispõe sobre o incentivo à conservação da Agro biodiversidade no Estado de Sergipe. Após ter sido construído pela sociedade civil organizada, o PL foi apresentado pela deputada estadual Ana Lúcia na última segunda-feira, 07, e aguarda o processo de tramitação na casa legislativa.

O segundo PL, 50/2011, garante a dignidade das pessoas trans. Ele regulamenta o uso do nome social de transexuais e transgênero nos órgãos da administração pública direta e indireta, autarquias, escolas públicas e a iniciativa privada. “Esse PL já foi aprovado em todas as comissões e precisa apenas ser aprovado em plenário da casa para se transformar em lei”, explicou a autora do PL, deputada Ana Lúcia.

Frente Parlamentar

O Dia Internacional da Mulher também foi marcado pelo lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher da Assembleia Legislativa de Sergipe. A deputada estadual Ana Lúcia participou do lançamento deste movimento suprapartidário que tem o objetivo de atuar pela aprovação de leis que contribuam com a promoção da igualdade de gênero e com a implementação de políticas públicas em defesa dos direitos da mulher.

Por Ascom parlamentar Ana Lúcia (Débora Melo)