Depois de acompanhar, em silêncio, o discurso da colega Maria Mendonça sobre o projeto de obras Proinvest, que recebeu duras críticas da parlamentar, o líder da bancada de governo, deputado estadual Francisco Gualberto, foi à tribuna responder ponto a ponto as cobranças da deputada. Além de explicar por que algumas obras estão paradas, e outras, ainda no papel, o parlamentar acusou o senador Eduardo Amorim de distorcer o projeto. “Ele baba de ódio e não fala a verdade”, ironizou Gualberto.
Segundo o líder do governo, o Estado não está pagando juros pelas obras que não foram iniciadas e nem pelas que estão paradas. “Os recursos do Proinvest só acarretam juros quando utilizados pelo Estado. Sem utilização, não geram despesas para Sergipe. As instituições liberam após a primeira prestação de contas de uso dos recursos”, observou. Gualberto disse que a época de votação do projeto foi um ‘período triste’ para a Assembleia Legislativa, que culminou com a eleição de Angélica Guimarães para a presidência e o surgimento de conflitos incomuns ao parlamento.
“O senador proibiu que o Proinvest fosse aprovado na forma original, teve que ser aprovado com uma lista de projetos por imposição. O resultado foram nove meses para aprovar o projeto”, disse Francisco Gualberto, que condena a postura do senador. “Aqui ele babava, destilava ódio, tinha maioria e Déda sofria com uma doença que lhe custou a vida e o senador falava dele como se tivesse com saúde. Foi preciso fazer um apelo para que se pudesse aprovar o Proinvest. Ele dizia que o Estado seria quebrado pelo projeto, mas não apresentava números verdadeiros da dívida de Sergipe e hoje não fala a verdade quando trata do Hospital do Câncer”.
Gualberto disse que a obra da rodovia que liga Itabaiana a Itaporanga está parada porque o Estado aguarda duas ações que correm na Justiça. E afirma que a estrada que liga Pirambu a Pacatuba não foi iniciada por causa de um embargo obtido pelo Ministério Público Federal (MPF). O líder do governo disse que o mercado de Lagarto saiu do papel e já abate gado, funciona apesar de não ter sido concluído. “Faltam detalhes”, explicou. O deputado declarou ainda que as obras de Nossa Senhora do Socorro, parte do Proinvest, foram concluídas.
A deputada Maria Mendonça se sentiu ofendida e pediu um aparte ao líder do governo para reclamar, mas não concluiu a participação. Gualberto disse que não viu em seu discurso nenhuma frase que pudesse ser considerada ‘deselegante’ e reiterou que a parlamentar não podia se considerar ofendida com a afirmação de que Eduardo Amorim ‘babava de ódio’. “Ele baba até hoje. É um senador babão e falta com a verdade. O senador prejudicou Sergipe por nove meses e foi a senhora que disse aqui que ele era o líder da bancada (de oposição)”.

 

Texto Agência de Notícias Alese