23 de setembro é o Dia Internacional da Língua de Sinais

Publicada: 23/09/2022 às 12:12

Por Shis Vitória/Agência de Notícias Alese

Hoje, 23 de setembro, é comemorado o Dia Internacional da Língua de Sinais. A data é alusiva a criação da Federação Mundial dos Surdos, instituição presente em mais de 100 países que luta pelos direitos deste público. Ainda de acordo com a Federação, existem cerca de 70 milhões de pessoas vivendo com a surdez e mais 80% delas estão em países em desenvolvimento.

O intérprete Genivaldo Oliveira desempenha suas funções na Alese

A linguagem de sinais é um sistema de representação simbólica das letras do alfabeto, soletradas com as mãos, mas não se resume a uma cartilha com alfabeto manual. Ela tem gramática própria e estrutura linguística composta por aspectos fonológicos, morfológicos e léxicos. Nessa língua existem sinais para quase todas as palavras conhecidas e para a execução dos sinais usa-se o movimento das mãos, além das expressões facial e corporal, quando necessário.

No Brasil, a Lei Nº 10.436/2002 reconheceu a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como meio legal de comunicação e expressão e determinou o apoio à sua difusão e uso pelo poder público.

A Assembleia Legislativa de Sergipe reconhece a importância da atividade com duas proposituras são elas: A Lei Nº 9.073/2022 que institui ‘o “Dia Estadual do Tradutor e Intérprete de Libras”, e dá providências correlatas. Além da Lei Nº 7.317/2011  dispõe sobre o uso da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS, no Estado de Sergipe, e dá providências correlatas.

Juliana Fraga avalia o segmento e reforça a importância da data

O intérprete Genivaldo Oliveira atua na Casa Legislativa, através da TV Alese, e destaca a libras como instrumento de acesso. “Ser intérprete de libras vai além da educação, já que possui o papel de informar. O interprete é um instrumento de acessibilidade ao levar conhecimento”, afirma.

A intérprete Juliana Fraga presta serviços de tradução e interpretação junto à uma empresa privada em diversas demandas, assim como atua na acessibilidade comunicacional (presencial ou audiovisual) de uma igreja cristã em Aracaju. “A comunicação é primordial na vida humana, seja ela em uma só língua ou em várias. Ser interlocutor da comunicação é um privilégio e uma responsabilidade muito grande, pois nos cabe transmitir informações fidedignas entre os falantes das línguas em foco. O reconhecimento social e político estabelecido em Lei que homenageia o profissional com um dia específico é um marco em sua luta pela visibilidade sendo que é somente a ponta do iceberg, todavia a valorização e respeito deste profissional perpassa por políticas públicas mais específicas. Esperamos que brevemente possamos galgar ainda mais degraus na oficialização da carreira”, concluiu.

Foto: Getty Images/iStockphoto

Outras notícias para você