2 de setembro é o Dia do Repórter Fotográfico

Publicada: 02/09/2022 às 9:50

Por Shis Vitória/Agência de Notícias Alese

Hoje, 2 de setembro, é comemorado o Dia do Repórter Fotográfico. O profissional que tem a missão de transmitir o registro fiel de fatos históricos, políticos, sociais, esportivos e culturais. Durante os primeiros séculos da imprensa, os acontecimentos eram narrados apenas com as palavras do repórter, porém, foi no ano de 1880 que o jornal Daily Herald, de Nova York, estampou a primeira foto em um jornal. A partir disso, a fotografia adquiriu uma grande importância nas matérias jornalísticas tanto para complementar a ideia do texto, quanto para comprovar a veracidade dos fatos. Nascia uma profissão: o Repórter Fotográfico.

Alese

O repórter fotográfico Jadilson Simões (Arquivo pessoal)

As atividades com registros fotográficos da Assembleia Legislativa de Sergipe e os principais acontecimentos traduzidos em imagens levam a assinatura de dois profissionais: Jadilson Simões e Joel Luiz. Acumulando anos de experiência no segmento ambos se dedicam, diariamente, em capturar os melhores registros. 

“Muitas vezes a fotografia fala mais que um texto. Uma foto bem elaborada que captura o momento exato de uma ação importante é algo fantástico!”. A declaração é do repórter fotográfico Jadilson Simões que avalia ainda o atual cenário no jornal impresso e na Assembleia Legislativa. “Infelizmente com os avanços da tecnologia as pessoas perderam o hábito de apreciar a leitura por meio do jornal impresso e a fotografia também foi se enfraquecendo, já que é mais rápido acompanhar o fato pelo celular através de sites de notícias do que aguardar o processo de impressão que o veículo impresso exige. Por outro lado, trabalhando próximo dos parlamentares fui percebendo a imensidão de assuntos e decisões que norteiam a vida da população e registrar as sessões plenárias, audiências públicas, comissões e solenidades, por exemplo, me permitiu ter um outro olhar sobre a rotina destes representantes, pois percebemos em muitas ocasiões o envolvimento acentuado deles na defesa de ideias e propostas. Particularmente acho fascinante capturar esses momentos”, afirmou.

Lembranças   

Registro do Largo da Gente Sergipana. Foto: Joel Luiz

A data comemorativa permitiu um mergulho na infância do fotógrafo Joel Luiz reunindo memórias até a inspiração pela área.

 “Sou reflexo de um garoto que cresceu no Povoado Vila Operária da Passagem, em Neópolis. De família muito humilde, nos éramos em oito irmãos e na fase de descobertas percebi que não levava muito jeito para dançar, cantar, atuar mesmo com todo incentivo que as atividades da igreja católica permitiam para as artes. Por outro lado, lá no Povoado existia a presença de um fotógrafo que fazia os registros dos casamentos, batizados e comecei a notar que isso me encantava mesmo sabendo que meu pai não tinha condições de apoiar esse desejo. Anos depois e com muito esforço, consegui comprar uma máquina fotográfica com revelação instantânea chamada ‘Sonora’ produzida em Manaus e foi daí que passeia a ganhar dinheiro com as fotos que fazia, atrelado ao trabalho numa fábrica local sendo mecânico. Vindo para Aracaju, com um coração e mente repleto de expectativas, tive algumas decepções por não consegui logo um emprego. Acabei ouvindo conselhos e prestei um concurso onde me tornei funcionário público contudo, uns dez anos depois dessa conquista percebi que faltava algo e o desejo do menino do interior vinculado com a fotografia ainda era forte dentro de mim. Como nesse período eu já tinha independência financeira, procurei me especializar e fiz vários cursos em São Paulo com o intuito de chegar mais próximo do desejo do menino do interior que ainda era forte dentro de mim para ser um artista por meio da fotografia. Tive muita dificuldade inicialmente, até porque não tinha de forma constante as orientações que precisava, mas com muita persistência fui me aprimorando”, relembra.

Após dar espaço as lembranças e referências, o profissional destaca a satisfação em atuar na Alese. “Sou uma pessoa que me considero do coletivo e não pelo individual e tenho uma grande satisfação em fazer parte desse grande time que atua no Poder Legislativo. Em cada pauta no plenário, eventos e viagens me sinto muito realizado com o que faço hoje”, concluiu.

Informações:

blog.alboompro.com

iphotochannel.com.br

Outras notícias para você