Os dados do relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) sobre irregularidades nas contas da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) levaram o deputado Gilson Andrade a encaminhar um requerimento pedindo a presença do superintendente do órgão estadual na Assembleia Legislativa. O deputado disse que as informações do TCE pediam explicações. “Que venham prestar os devidos esclarecimentos e possamos saber a verdade, se de fato tudo isso que foi encontrado pelos técnicos do TCE, dizer quanto deve e a quem deve”.

 

Gilson declarou que ficou preocupado com a reunião ocorrida no Ministério Público do Estado, onde o Tribunal de Contas do Estado expôs relatório sobre a fundação nos últimos anos. “Os técnicos do TCE constataram que entre 2010 e 2014 surgiu um déficit de R$ 256 milhões. Constataram ainda o pagamento de R$ 4 milhões a uma empresa que já estava com o contrato rescindido. O relatório aponta profissionais com até vinte e seis vínculos, notas fiscais atestadas por servidores que não acompanharam a execução do serviço, contrato que teve um reajuste de 25% no valor com pouco mais de cinquenta dias de vigência, sem qualquer justificativa”, citou.

 

Ainda de acordo com o deputado, o relatório aponta a existência de uma empresa de transporte que tinha contrato de R$ 200 mil, dividido em dez vezes, mas que recebeu R$ 475 mil. “Uma empresa vencedora de material ganhou a licitação para receber R$ 57,9 mil e no final do contrato a fundação fez dispensa de licitação e passou a pagar quase R$ 90 mil. Em 2012 pagava a um serviço terceirizado R$ 2 mil e após dispensa de licitação passou a pagar quase R$ 4 mil. Relato aqui apenas uma pequena parte do que foi constatado por técnicos do TCE. Fiz requerimento solicitando a presença do superintendente da fundação e peço o apoio para  aprovação para que possamos ter aqui a presença dos representantes da FHS”.