Exposição marca reabertura do Espaço Cultural na Elese

Publicada: 07/02/2022 às 10:39

02/02/2022

Por Aldaci de Souza

Foi aberta ao público na tarde desta quarta-feira, 2 na Escola do Legislativo de Sergipe, a exposição do artista plástico José Silveira Pereira, com o tema: ‘Surrealismo, o imaginário de Silveira’. A mostra prossegue até o dia 2 de março com obras inspiradas no artista espanhol Salvador Dalí. A curadoria é do coordenador de Projetos Especiais da Elese, Arivaldo Chagas.

Isabela Mazza: “Reavivar o Espaço Cultural para incentivar os artistas sergipanos”

A diretora da Escola do Legislativo, Isabela Mazza informou que as atividades do Espaço Cultural estão sendo retomadas. “Esse é um dos objetivos da Assembleia e da escola: reavivar o Espaço Cultural, incentivando a arte e a cultura através de artistas sergipanos. Temos um espaço num palácio tão bonito, que tem uma história muito bacana e a gente quer abrir o espaço e dar oportunidade aos artistas, já que é tão difícil pra eles estar alugando espaços e aqui a gente abre a casa para a arte e a cultura, incentivando a classe”, ressalta.

O coordenador de Projetos Especiais da Escola do Legislativo, Arivaldo chagas explicou que a exposição do artista plástico José Silveira, sergipano de Propriá, brinda os visitantes com obras inspiradas no surrealismo.

“O surrealismo é um movimento que surgiu na Europa no Século XIX, tendo entre os seus principais artistas, Salvador Dalí e Miró. Silveira teve conhecimento das obras de Salvador Dalí e a partir disso ele trouxe para as suas telas o seu sonho e o seu imaginário”, afirma acrescentando que a escola clássica tem por objetivo retratar as imagens vistas na natureza, a exemplo das frutas, árvores e pessoas e a paisagem exatamente como aparecem.

O curador Arivado Chagas destacou o surrealismo e as pinturas de Silveira

Arivaldo Chagas explicou que o surrealismo veio para quebrar com o paradigma, com o classicismo, destorcendo as formas como vemos nas pinturas de Silveira, trazendo um movimento diferenciado e o artista coloca nas telas, o seu sonho e imaginário como ele vê a realidade.

“Nessa exposição, dividimos em três grandes núcleos: as faces, os corpos e a etnia; considerando inclusive que o nosso artista Silveira é descendente de indígenas. Não tivemos um propósito de criar um fluxo para visitar a visitação das pessoas, criando direcionamento com setas como a gente vê nos museus. A proposta aqui foi exatamente permitir que os visitantes admirem o universo do artista criando o seu próprio universo. Com a experiência que trouxemos de Paris, Barcelona e Nova Iorque, colocamos as telas em um posicionamento mais próximo do solo para que as pessoas interajam melhor, pensando em crianças, cadeirantes e pessoas com necessidades especiais”, enfatiza.

O artista José Silveira disse que a coleção de obras expostas na Elese é inédita

O curador da exposição agradeceu o espaço para a realização do evento ao presidente da Alese, Luciano Bispo, ao diretor-geral, Roberto Bispo, ao subsecretário da Mesa Diretora Igor Albuquerque e à diretora da Elese, Isabela Maza.

Artista

O artista plástico José Silveira disse estar muito feliz em expôr seus quadros na Escola do Legislativo, após mais de 25 anos sem participar de exposições.

“Depois de muito tempo sem expor, essa é uma oportunidade e eu agradeço a todos em especial à diretora Isabela Maza, ao curador Ari e à Vera Vilar. Essa coleção nunca foi exibida. A proposta é mostrar aos visitantes um pouco da política sócio-cultural e econômica do nosso país, além do aspecto religioso, pois temos uma tela que fala da Odisseia de Dante (purgatório)”, observa enfatizando que já expôs em vários cidades a exemplo de Salvador, Maceió, Recife, Belo Horizonte, Brasília e São Paulo.

Arivaldo com o colecionador de obras de arte Mário Brito

“Eu gostei muito das telas, principalmente das imagens pintadas com cores muito fortes”, disse o estudante Marcos da Silva, que esteve na abertura da mostra.

A exposição contou ainda com as presenças do diretor de Comunicação da Alese, Irineu Fontes, representando o presidente da Alese, deputado Luciano Bispo, o jornalista e presidente da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), Luciano Correia, que representou o prefeito Edvaldo Nogueira na solenidade, a diretora regional do Senac, Priscila Felizola, o colecionador de obras de arte Mário Brito, alem do público em geral.

Fotos: Joel Luiz

A matéria foi atualizada às 19h30

 

 

 

.

 

 

Outras notícias para você