O deputado estadual Jairo de Glória (PRB) defendeu a desativação do presídio de Nossa Senhora da Glória onde foram registradas três fugas em menos de 15 dias. “É uma estrutura que não serve para custodiar ninguém. Não há a menor condição de manter presos ali dentro”, disse, ao apelar ao Governo no sentido de retirar os cerca de 400 detentos que estão no local e transferi-los para outras unidades prisionais, de modo que a população volte a ter mais tranquilidade.

“Aquilo é um barril de pólvora sempre prestes a explodir. Acabar com aquela estrutura, que não abriga adequadamente e não ressocializa ninguém, é permitir que o povo de toda aquela região volte a ter a sensação de segurança. Vou defender a desativação desse presídio e quero, inclusive, contar com o apoio do líder do governo, deputado Francisco Gualberto, e dos demais colegas parlamentares nesse sentido”, afirmou Jairo, em pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa.

Jairo lembrou que anos atrás já havia alertado sobre o grave problema do presídio. Na época, ele solicitou a intervenção da Força Nacional. “O nosso pedido foi prontamente atendido pelo gestor de plantão e, naquele período, houve a retomada da sensação de segurança. Mas a Força Nacional não ficou todo o tempo lá. Foi por um curto período”, afirmou, ressaltando que, depois o caos se instalou e o clima de insegurança voltou a tomar conta da população. “Os cidadãos de bem do nosso querido sertão vivem trancafiados em suas casas, enquanto esses bandidos fugitivos estão às soltas, aterrorizando”, reclamou.

Agentes agredidos – Os agentes prisionais não têm como fazer o seu trabalho, pois também são vítimas das ações de marginais, dentro do seu próprio local de trabalho. Ele citou o caso de um agente conhecido como “Da Lua”, irmão do prefeito reeleito de Glória, Chico dos Correios (PT). “O irmão do prefeito foi morto, enquanto trabalhava para sustentar a família. Isso é muito triste. É uma realidade que nos entristece muito”, confessou.

O deputado relatou, ainda, o caso de um agente que está na inatividade, após ser atingido por um tiro, além de outro, também, agredido no exercício da função que vem sofrendo duramente para conseguir ser submetido a uma cirurgia. “Hoje, esse pai de família tem apelado às autoridades competentes para que o ajudem para que possa fazer uma cirurgia”, disse.

No entender de Jairo, a cúpula da segurança Pública precisa ser mais incisiva para inibir as ações dos delinquentes.  “Mesmo aliado, não me calo diante desse tipo de coisa. O nosso sertão não pode sofrer por falta de ações dos auxiliares diretos do governo”, afirmou, ressaltando que o governador Jackson Barreto tem diversas demandas e não consegue acompanhar questões isoladas. “É para isso que existem auxiliares: o secretário, o delegado…. São eles que têm que verificar o problema, buscar soluções e apresentar ao governador”, afirmou.

De acordo com Jairo, na atual realidade, os presos só não saem se não quiserem. “Aquela estrutura não tem a mínima condição de abrigar presos. É importante que a cúpula da segurança fique atenta e cuide para garantir a tranquilidade dos cidadãos. O povo está apavorado com esses bandidos que têm fugido constantemente e têm ficado solto”, afirmou.

Por Assessoria Parlamentar